Gazeta de S. Paulo

FONTE:CLIMATEMPO Ribeirão Preto 7° 24° Campinas 7° 20° Ubatuba 11° 21° São Paulo 8° 18° Registro 6° 18° Presidente Prudente 8° 22° Araçatuba 9° 23° Tempo ensolarado, com nevoeiro ao amanhecer. Noite de céu limpo. Dia de sol,com nevoeiro de manhã.As nuvens aumentam à tarde. Dia de sol,com nevoeiro de manhã. As nuvens aumentam no decorrer da tarde. mín 8° máx 18° mín 9° máx 22° mín 12° máx 24° HOJE: AMANHÃ: SÁBADO: Previsão para Capital Rodízio Capital Não podem circular na cidade de São Paulo das 7h às 10h e das 17h às 20h veículos com placas final: HOJE: AMANHÃ: 7 e 8 9 e 0 Nos fins de semana não há rodízio Valor da multa é de R$ 130,16 Tempo Sol Poucas nuvens Nublado Chuva rápida Chuva Piracicaba 7° 21° PAULO SOUZA Diretor Gráfico SERGIO SOUZA Diretor Presidente ROBERTO SANTOS Diretor Comercial NELY ROSSANY Jornalista Responsável Jornal Gazeta de S. Paulo é uma publicação da empresa Jornal Gazeta SP Ltda - CNPJ: 04.735.364/0001-70 . Fundado em 29/06/1999 . Circulação: Nacional e no Estado de São Paulo . Periodicidade: Diária . Preço/Exemplar: R$ 1,50 / Balcão: R$ 1,50 . São Paulo: Rua Tuim 101, A - Moema, São Paulo - SP - CEP 04514-100 - Fone/ Fax: (11) 3729-6600 . Representantes emBrasília: (61) 3321-3440 . Tiragem por edição: 40.850 exemplares . Agências de Notícias: Agência Brasil (AB), Estadão Conteúdo (EC), Folhapress (FP). Matérias assinadas e opiniões emitidas em artigos são de responsabilidade de seus autores. Editor Responsável - Nely Rossany editor@gazetasp.com.br Capital - Aline Fonseca cidades@gazetasp.com.br Fotografia - Thiago Neme fotografia@gazetasp.com.br Comercial - Roberto Santos comercial@gazetasp.com.br Administrativo - Joana Brolese joana@gazetasp.com.br Faturamento - Theo de Paula theo@gazetasp.com.br Distribuição - Daniel Villaça Souza daniel@gazetasp.com.br Gráfica - Paulo Villaça Souza paulo@gazetasp.com.br Telefone - 11. 3729-6600 Site - www.gazetasp.com.br FALE COM A GAZETA Jornal Associado: Edição digital certificada: Edição impressa auditada: “Um jornal independente é um jornal onde a sua missão é levar à tona as informações que lhe são conferidas, não se vendendo aos interesses partidários e políticos, sempre focado emum único objetivo - informar corretamente os seus leitores. O Leitor emprimeiro lugar”. Sergio Souza Fundador DANIEL SOUZA Diretor Responsável MARCELO BARROS Diretor - Vale do Ribeira ALEXANDRE BUENO Diretor - Litoral e Vale do Paraíba Serviços A2 QUINTA-FEIRA, 12 DE JULHO DE 2018 (11) 3729-6600 editor@gazetasp.com.br www.gazetasp.com.br @gazetasp1 facebook.com/gazetasp Estão isentos da adesão obrigatória até novembro micro e pequenas empresas (aquelas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões) e MEIs O prazo para pe- quenos empresá- rios aderiremao eSocial, que seria até a próxima segunda-feira, foi prorrogado para novembro, conforme decisão do Comitê Diretivo do eSocial publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira. Estão isentos da adesão obrigatória até novembro micro e pequenas empresas (aquelas com faturamento anual de até R$ 4,8milhões) e MEIs (microempreendedores individuais). Apenas MEI com funcioná- rios -público que hoje totaliza 115 mil empregadores, de acor- do coma Receita- precisará prestar informações ao eSocial. Quem tiver interesse em ingressar desde já, no entanto, tambémpoderá ter acesso ao sistema a partir de segunda, informa a Receita. Desde janeiro, o eSocial está emoperação para as grandes empresas (com faturamento anual superior a R$ 78milhões). Segundo o fisco, 97% delas já integramas bases do sistema. O eSocial é uma plataforma que unifica eletronicamente as informações que as em- presas têmque prestar sobre seus empregados ao fisco. Quando totalmente implementado, a expectativa é que o eSocial reúna informações demais de 44milhões de trabalhadores do setor público e privado do país emummesmo sistema. Ele substituirá até 15 prestações de in- formações ao governo -como GFIP, Rais, Caged E DIRF- por apenas uma. Ao lançar o programa, o governo esperava um incremento de R$ 20 bilhões na arrecada- ção quando todas as etapas fossem concluídas, em julho de 2019. Segundo a Receita, muitas pequenas empresas acabavampagandomenos impostos por erros no preenchimento das mais de 15 guias. Assim como está acontecendo comas gran- des empresas e como ocorrerá comos entes públicos, a implementação do eSocial para o pequeno empresário se dará de forma escalo- nada, dividida em cinco fases, distribuídas de julho deste ano a janeiro de 2019. Fase de implantação. Assim como está acontecendo comas gran- des empresas e como ocorrerá comos entes públicos, a implementação do eSocial para as empresas do segundo grupo – excluídas neste momento a obrigatoriedade de pequenas em- presas e de MEI - se dará de forma escalonada, dividida em cinco fases, distribuídas de julho a janeiro de 2019. Dessa forma, os empregadores incluirão gradativamente suas informações no sistema. A partir do dia 16 de julho até o dia 31 de agosto deste ano, os empregadores deve- rão enviar ao eSocial apenas informações de cadastro e tabelas das empresas. Em relação aos MEI que possuamempregados e que optem por já ingressar no eSocial, o Comitê Gestor do eSocial esclarece que, na prática, eles não terão nenhuma informação para prestar antes de setembro, já que os dados da 1ª fase (cadastro do empregador e tabelas) são de preenchimen- to automática pela plataforma simplificada que será disponibilizada para este público. Apenas a partir de setembro, os empregadores do segundo grupo precisarão incluir na plata- forma informações relativas a seus trabalha- dores e seus vínculos comas empresas, como admissões, afastamentos e demissões, por exemplo. (FP e AB) Prazo de adesão obrigatória de pequena empresa ao eSocial é adiado para novembro O eSocial é uma plataforma que unifica eletronicamente as informações que as empresas têmque prestar sobre seus empregados ao fisco; expectativa reúne informações demais de 44mi de trabalhadores MARCELO CAMARGO/AGÊNCIABRASIL apresentará e, para finalizar, a noite terá reggae com Inaya Guetto a partir das 22 horas. Já no segundo dia (14), o público poderá acompanhar a transmissão da Copa do Mundo, a partir das 10 horas. Festival de inverno em Itanhaémcomeça sexta EVENTO. Este ano a programação contará com shows de diferentes estilos musicais, apresentações de dança, meia maratona e transmissão da final da Copa do Mundo N esta sexta-feira (13), iniciará mais uma edição do Festival de Inverno. Este ano a programação contará com shows de diferentes estilos musicais, apresentações de dança, meia maratona e transmissão da final da Copa do Mundo. O festival aconte- cerá nos dias 13, 14, 15, 20, 21 e encerrará no dia 22 de julho. O evento ocorrerá na Praça 22 de Abril, na Boca da Barra, em Itanhaém, na Baixada Santista. O primeiro dia do festival (13) terá em sua programação quatro atrações. A primeira será a Cia de Dança Thati Balé, com a coreografia “O que Dei- xamos”, que entrará no palco às 19 horas. Já às 20 horas o DJ Wesley animará o público, em seguida às 20h30 Reefbrake se seus sucessos e, às 22 horas, a noite encerrará comMileduke. No domingo (15), a programa- ção inicia com a transmissão da final da Copa do Mundo às 10 horas. À noite DJ Wesley tocará para o público a partir das 19 horas. Já às 20 horas iniciará o show da banda de rock Chinela Brazuka. A última apresentação será de Patrícia Mendes às 21h30. Na sexta-feira (20) da se- mana seguinte, as apresenta- ções começam a partir das 19 horas, como grupo de dança Action Dance. Às 20 horas, Dj Wesley se apresentará nova- mente, e a noite também terá música Indie com a banda Ga- ragem Sem Teto às 20h30 e, às 22 horas a Banda Bella Época, encerrará a programação com show de rock. (DL) À noite a Cia de Dança Thati Balé voltará para apresentar o trabalho “E Agora”, às 19 horas, e às 20h o DJ Wesley entrará no palco para tocar forró romântico. Às 20h30, a Haloha’s Band apresentará O festival acontecerá nos dias 13, 14, 15, 20, 21 e encerrará no dia 22 de julho; evento ocorrerá na Praça 22 deAbril, na Boca da Barra DIVULGAÇÃO Festival de Orquídeas. Reconhecida como a terra do vinho e da alcachofra, a cidade de São Roque (66 km de SP) também tem bastante tradição quando o assunto é flor. Por conta disso, ela promove, no comecinho do mês que vem, a 13ª edição do Festival de Orquídeas e Plantas Ornamentais do município, um evento que conta com exposição, oficina e curso grátis sobre flores. De acor- do com Lúcia Millen Nogueira, diretora da Associação Orquidófila de São Roque, o festival deste ano terá como tema as espécies que florescem nos meses de inverno. E conta como será a programação. “A gente recebe cole- cionadores, associações que trazem as orquídeas mais raras possíveis para a exposição. Na sexta, dia 3, é aberto só para compradores. No sábado, dia 4, e no domin- go, dia 5, começam as visitas”, afirma. Segundo ela, os compradores encontrarão mudas de flores com preços a partir de R$ 10. Haverá pelo menos 30 tipos diferentes de orquídea por associação -são em torno de 25 grupos. Outro ponto bacana do evento são os cursos gratuitos, também chamados pela organização de oficinas. (FP) Educação. A Secretaria Municipal de Educação de São Paulo tem 205 unidades de Educação de Jovens e Adul- tos (EJA), em todas as regiões da cidade, que oferecem atendimento para alunos a partir de 15 anos que não tiveram acesso ou não concluíram o Ensino Fundamen- tal (1º ao 9º ano) na idade convencional. As inscrições de adultos e jovens que desejam retornar seus estudos acontecem ao longo do ano. Para fazer a inscrição gratuita, basta comparecer a uma dessas escolas que ofe- rece EJA. Quem já cursou parte do Ensino Fundamental pode iniciar o curso do ponto que parou, apresentando o histórico escolar ou, no caso de não possuir documento comprobatório, fazer uma prova de classificação. É pos- sível consultar a lista com as unidades de ensino e seus respectivos endereços e contatos no Portal da Educação. (GSP) Exposição. Duas das principais instituições culturais de São Paulo abrem espaço, em iniciativa inédita, para a Exposição Histórias Afro-Atlânticas. OMuseu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp) e o Instituto Tomie Ohtake apresentam uma seleção de 450 trabalhos de 214 artistas, do século 16 ao 21, sobre os fluxos de pes- soas entre a África, as Américas, o Caribe e a Europa até outubro. A exposição coletiva Histórias afro-atlânticas é um desdobramento da exposição Histórias mestiças, re- alizada em 2014, no Instituto Tomie Ohtake, por Adriano Pedrosa e Lilia Schwarcz, que também assinam a cura- doria desta nova mostra, junto comAyrson Heráclito e Hélio Menezes, curadores convidados, e Tomás Toledo, curador assistente. A exposição é dividida em oito núcle- os temáticos sobre diferentes temporalidades, territórios e suportes, nas duas instituições. No Masp pode-se ver os temas Mapas e Margens, Cotidianos, Ritos e Ritmos e Retratos (no primeiro andar), Modernismos afro-atlân- ticos (no primeiro subsolo) e Rotas e Transes: Áfricas, Ja- maica e Bahia (no segundo subsolo). No Instituto Tomie Ohtake: Emancipações e Resistências e ativismos. (AB) NOTAS DocuSign Envelope ID: A3C053BF-BAA1-45F8-9176-54FB13A53161

RkJQdWJsaXNoZXIy NTg0OTkw