9 a 11 de fevereiro de 2019

FUNDADO EM . ANO N . SÁBADO A SEGUNDA-FEIRA A DE FEVEREIRO DE R$ , gazetasp. com.br Paris, que antes era sinônimo de romance, hoje é destino para a família toda. TURISMO/B10 MISTERVLAD/DEPOSITPHOTOS Pacaembu é concedido por anos O Consórcio Patrimônio SP apresentou lance de R$ 111 milhões e levou a concessão do Estádio do Pacaembu, na zona oeste A licitação ocorreu às pressas, após o Tribunal de Contas doMunicípio (TCM) liberar o processo na quin- ta. As empresas passaram a ser chamadas às 19h, para a sessão de abertura que ocorreuna Secretaria Municipal de Esportes, na zona sul de São Paulo. Esta é a primeira lici- tação a sair no Plano Municipal de Desestatização da prefeitura, após dois anos de governo João Doria/ Bruno Covas (PSDB). Oentrave era referente a questionamentos fei- tos pelo tribunal sobre as regras da licitação. CAPITAL/A6 Força providencial AUTOMOTOR Lançado no Šinal de 2011, o Renault Duster aguarda uma nova geração, já lançada na Europa e prevista para o Brasil para o Šinal deste ano. Enquan- to isso, para melhorar sua re- lação custo-beneŠício, incor- porou há seis meses o trem de força do Nissan Kicks e já ado- tado também no Captur, com motor 1.6 SCE de 16 válvulas e câmbio CVT. AUTOMOTOR/B1 DIVULGAÇÃO THIAGO NEME/GAZETADE S.PAULO Passageiros reclamamde atraso e lotação emônibus da Grande SP Empresadiz que colocounovos veículos emcirculaçãoemTaboãoeEmbu . GRANDE SP/A5 Cidades entram emcalamidade nanceira emSP A crise que já levou vários esta- dos brasileiros a decretarem ca- lamidade ™nanceira atinge tam- bém municípios do interior de São Paulo. Com uma dívida de R$ 150 milhões e sem condições de pagar os compromissos, o prefeito de Mococa, Felipe Niero Naufel (PSDB), decretou situação de calamidade administrativa no município, na terça-feira. Ele deu prazo de 30 dias às secretarias municipais para um “pente ™no” em todos os contratos dos últi- mos dez anos. ESTADO/A3 Licitação de ônibus segue mesmo sem concorrência CAPITAL/A6 SÓUMAPOR LOTE NAYRAHALM /FOTOARENA/FOLHAPRESS Tragédia no Flamengo Alojamento não tinha licença da prefeitura A área onde ™cava o alojamento que pegou fogo na madrugada de sexta-feira e deixou dez mortos e três pessoas feridas, uma delas em estado grave, no Cen- tro de Treinamento do Flamengo, estava descrita como “estacio- namento”, de acordo com a Prefeitura do Rio. Na prática, o clube não tinha permissão para manter o alojamento no local. Na sexta-feira, torcedores prestaram homenagem às vítimas e ™zeram orações em frente ao Ninho do Urubu. BRASIL/A7 Maioria dos arremates é feito por pessoa sica LEILÕES&NEGÓCIOS/C1 DocuSign Envelope ID: 93B92EBA-5880-4A21-ACB8-51839DAC98D3

RkJQdWJsaXNoZXIy NTg0OTkw