últimas notícias
Fila para votação em São Paulo, nas eleições municipais de 15 de novembro
Fila para votação em São Paulo, nas eleições municipais de 15 de novembro
Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas

30% dos paulistanos esqueceram em quem votaram nas últimas eleições

Segundo estudo da Rede Nossa São Paulo, 58% dos moradores de SP não têm qualquer vontade de participar da vida política da cidade

Menos de dois meses após as eleições municipais de 15 de novembro do ano passado, 30% dos paulistanos não lembram em que votaram para vereador. O levantamento faz parte do estudo "Viver em São Paulo: qualidade de vida", realizado pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope Inteligência, divulgado nesta quinta-feira (21).

A pesquisa ouviu 800 moradores da cidade de São Paulo com 16 anos ou mais, entre 5 de dezembro e 4 de janeiro, por meio de entrevistas on-line e domiciliares com questionário. A margem de erro é de três pontos percentuais e o índice de confiança é de 95%.

Ainda no aspecto político, quase metade da população paulistana (47%) considera que a entrada de mais mulheres, negros e transexuais na Câmara Municipal nas últimas eleições melhora a qualidade de política. Já 37% considera que não afeta.

O levantamento também mostra que 58% dos entrevistados não têm qualquer vontade de participar da vida política da cidade, contra 11% que disseram ter muita vontade .Quanto mais jovem, menor é o interesse.

Por outro lado, indica o estudo, cresceu a proporção de moradores que participam de alguma forma da vida política, com destaque para o envolvimento em abaixo-assinados ou petições. Estar em casa, na pandemia, contribui para isso, uma vez que a internet conecta as pessoas. Ainda assim 46% da população não tem qualquer participação.

Os meios mais considerados para uma possível participação nas atividades da Câmara são redes sociais (28%), aplicativos de mensagens (24%) e reunião com a população dos bairros (23%).

A avaliação da da gestão Bruno Covas (PSDB) permanece estável: 35% consideram ruim ou péssima; 45% consideram regular; e 18% consideram ótima ou boa.

Confiança nas instituições
Segundo o estudo, Metrô, Sabesp e Conselho Tutelar são as instituições em que a população paulistana mais confia, sendo apontadas por 70%, 57% e 51% das pessoas entrevistadas, respectivamente. Já a Igreja é a instituição que mais contribui para a melhora da qualidade de vida (25%), seguida de ONGs que trabalham no bairro em que mora (19%), universidades (17%), meios de comunicação (16%) e prefeitura (16%).

A maioria da população paulistana tem orgulho de morar na cidade de São Paulo: 34% afirmam ter muito orgulho; 43% pouco orgulho; e 21% não sente orgulho de morar na Capital. Entretanto, 60% dizem que sairiam da cidade se pudessem.

 

Comentários

Tops da Gazeta