Publicidade

X

Mundo

Presidente do Vietnã morre aos 61 anos, deixando vácuo no poder

Tran Dai Quang morreu aos 61 anos depois de uma doença grave. Ele ocupava o 2º maior cargo no país, atrás do líder do Partido Comunista Por Estadão Conteúdo

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 21/09/2018 às 18:15

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

O presidente do Vietnã, Tran Dai Quang, morreu aos 61 anos nesta sexta-feira, 21, depois de uma doença grave, disse o governo em comunicado. Ele ocupava o 2º maior cargo no país, atrás do líder do Partido Comunista.

Segundo o comunicado, os esforços no tratamento de Quang envolveram médicos e especialistas vietnamitas e estrangeiros, além dos cuidados providos pelos líderes do partido e do Estado, mas ele não resistiu.

O presidente morreu no Hospital Militar Nacional 108, em Hanói, onde foi internado na tarde de quinta-feira, 20, em coma profundo.

Os detalhes sobre sua doença não foram divulgados no comunicado, mas segundo o jornal estatal VnExpress, que citou o ex-ministro da Saúde Nguyen Quoc Trieu, Quang havia adquirido um vírus raro e tóxico em julho do ano passado. Desde então, o presidente havia viajado seis vezes ao Japão para receber tratamento. O nome do vírus não foi especificado.

"Professores e médicos japoneses o trataram e ajudaram a consolidar a saúde do presidente por cerca de um ano", disse Trieu. "No entanto, não há medicamentos no mundo que possam curar a doença completamente, apenas preveni-la e afastá-lo por algum tempo."

A última aparição pública de Quang foi em uma reunião do Partido Comunista e em uma recepção a uma delegação chinesa na quarta-feira 19. Ele parecia frágil nas imagens transmitidas pela TV estatal vietnamita. No ano passado, Quang ficou mais de um mês sem aparecer publicamente, o que levantou especulações sobre sua saúde.

Nascido na província do norte de Ninh Binh, Quang se formou policial e subiu na hierarquia do Ministério da Segurança Pública, antes de ser apontado como ministro, em 2011.

Funcionário de carreira na área da segurança e general de quatro estrelas, ele foi eleito presidente em abril de 2016 pela Assembleia Nacional, dominada pelo Partido Comunista, efetivamente se tornando o segundo homem mais poderoso no país, depois do secretário-geral Nguyen Phu Trong.

A Assembleia Nacional está planeja convocar uma sessão no próximo mês, quando espera eleger um novo presidente. Fonte: Associated Press.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Educação

Taboão da Serra inicia entrega do uniforme escolar

Expectativa é que até o dia 15 de março todos os estudantes tenham recebido o kit completo

Direitos Humanos

'Inconcebível', diz Alckmin sobre ataques contra civis em Gaza

Assim como Lula, vice-presidente fez apelo à comunidade internacional

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter