últimas notícias
Mileide Mihaile
Mileide Mihaile
Foto: Instagram

TVs voltam a produzir

Ano correndo solto, setembro em curso e mesmo com a pandemia ainda presente, é de se destacar o esforço das principais TVs em aumentar o ritmo das suas produções. A Record, além das novelas, jornalismo e seus programas regulares, encerrou ontem o "Ilha Record" e, à toda, prepara a estreia da "Fazenda" na terça-feira. A Globo, do lado dela, também intensificou os trabalhos da dramaturgia, apresentou novidades como "Masked Singer Brasil", estreou Marcos Mion, mudou Luciano Huck de dia e, dizem, tem articulados vários lançamentos para 2022. Desconfia-se até que será em números bem surpreendentes. Nesse mesmo embalo, a Band também aparece, já com a estreia de um game show do Zeca Camargo em novembro; Fausto Silva, diário, em janeiro; além de uma nova linha de programas na faixa das 22h45, entre outros movimentos. Cabe perguntar: e o SBT? Entre todas, é a única que, por enquanto, ainda não dá sinais de nada. De duas, uma: ou estão escondendo muito bem ou, o que será bem lamentável, não existe mesmo coisa alguma pensada para os próximos tempos.

TV Tudo

Tudo pronto. Ontem, na coletiva de "A Fazenda" no "Hoje em Dia", ficou claro que em se tratando de estreia, terça que vem, não há mais muita coisa a fazer. Instalações e toda a parte técnica já foram entregues. E Adriane Galisteu, também, no ponto. Victor Pecoraro, Mussunzinho, Liziane Gutierrez, Nego do Borel, Tati Quebra Barraco, Arcrebiano e Mileide Mihaile foram confirmados no elenco.

Não é por nada. Na ponta do lápis, só o esporte apareceu como investimento do SBT nos últimos tempos. No mais, entre jornalismo, linha de shows e dramaturgia, há muitos anos continua a mesma coisa. Ou com a sua produção ainda mais enfraquecida.

Suspense. O grande problema pela frente para o SBT, no que diz respeito ao campo esportivo, atende por Conmebol. Os direitos pela Libertadores da América, principal competição sul-americana, seguem até 2022. E depois? Já tem um bastidor em cima disso. É bom ficar de olho.

Mesmíssima coisa. E a Band também tem que proceder da mesma forma ou com os mesmos cuidados em relação à Fórmula 1. Além desta, a temporada do ano que vem já está assegurada. Mas é começar a pensar lá na frente. A F1 está entre os melhores negócios da sua direção nos últimos tempos.

Tops da Gazeta