últimas notícias
Chevrolet S10 High Country
Chevrolet S10 High Country
Foto: Luiza Kreitlon/AutoMotrix

Equipamentos deixam S10 High Country da Chevrolet mais esportiva

A Chevrolet S10 High Country incorpora equipamentos de utilitários esportivos

O termo picape é usado para definir um veículo utilitário similar a um pequeno caminhão, geralmente aberto, para transporte de mercadorias. Mas essa definição ficou no passado e atualmente as picapes se assemelham cada vez mais aos utilitários esportivos - que formam o segmento que mais cresceu neste século no Brasil e no mundo. Dentro desse conceito de "SUV com caçamba" predominante nas picapes atuais, há diversos subsegmentos. Um dos mais disputados é o dos modelos mais luxuosos e é nessa briga que está a versão High Country da S10. O alvo preferencial da picape da Chevrolet é a elite do agronegócio brasileiro - os empresários rurais mais abastados, que precisam de um veículo que "aguente o tranco" nas árduas trilhas da roça, mas não abrem mão do conforto que o dinheiro pode comprar.

Lançada no mercado brasileiro em 2015, a S10 High Country é a configuração mais cara e completa da família no Brasil. A versão parte da configuração LTZ, equipada com o mesmo motor turbodiesel, câmbio automático e tração 4x4, porém, incorpora itens no visual, um acabamento interno com detalhes exclusivos e uma lista de equipamentos mais generosa. Por fora, a S10 High Country tem rodas de alumínio exclusivas de 18 polegadas com acabamento diamantado, o friso cromado na parte superior das portas, as maçanetas externas e da tampa da caçamba com detalhes cromados, a grade dianteira com detalhes em preto, o santoantônio com design exclusivo, a capota marítima, o quebra-mato no para-choque dianteiro e o logotipo da versão na tampa da caçamba. Por dentro, se destacam os bancos e o volante multifuncional revestidos em couro, os emblemas "High Country" nas portas dianteiras, os detalhes de acabamento cromados e a moldura das portas na cor prata. Para a linha 2020, a High Country e os demais modelos cabine dupla da S10 finalmente incorporaram o terceiro apoio de cabeça no banco traseiro.

Macaque in the trees
A tampa da caçamba da S10 High Country é cromada; as rodas de alumínio têm 18 polegadas e a suspensão funciona bem

Em termos de segurança, a linha 2020 traz seis airbags (frontais, laterais e de cortina), alertas de colisão frontal e de saída de faixa, assistente de partida em rampas, alerta de pressão dos pneus e controle de velocidade em declives. Entre os equipamentos voltados para o conforto estão o banco do motorista com ajustes elétricos, o acendimento automático dos faróis, o ar-condicionado eletrônico, a coluna de direção com ajuste de altura, a chave tipo canivete, a direção elétrica progressiva, o retrovisor interno eletrocrômico, os espelhos externos com rebatimento elétrico, os sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, o sensor de chuva, a partida remota do motor pela chave, os vidros elétricos com sistema "um toque", o antiesmagamento e o banco traseiro bipartido e rebatível com porta-objetos. O sistema multimídia MyLink tem tela sensível ao toque de 8 polegadas com navegador GPS integrado e conectividade para Android Auto e Apple CarPlay.

Sob o capô, a Chevrolet S10 High Country traz o mesmo motor 2,8 litros turbodiesel de quatro cilindros adotado nas versões LT e LTZ e no utilitário esportivo Trailblazer, com turbocompressor de geometria variável, intercooler e injeção direta de combustível do tipo "common rail". Entrega 200 cavalos de potência a 3.600 rpm, e 51 kgfm de torque, a partir de 2 mil rpm. Atua acoplado a um câmbio automático de 6 marchas com modo manual Active Select (com trocas pela alavanca) e sistema de tração que pode ser frontal, 4x4 ou 4x4 com reduzida.

Macaque in the trees
O motor 2.8 litros é um turbo diesel de quatro cilindros, tem câmbio automático de seis marchas e tração 4 x 4

A configuração High Country não oferece opcionais. O preço explica o fato de ser uma versão pouco comum nas ruas - são R$ 202.090 se a picape for da cor metálica Vermelho Chili. Já a cor sólida Branco Summit (a do modelo testado) acrescenta R$ 800 e as metálicas Cinza Graphite, Preto Ouro Negro e Vermelho Edible Berries encarecem a conta em R$ 1.750. A picape topo de linha da Chevrolet rivaliza com concorrentes também bem recheadas de equipamentos, como a Toyota Hilux SRX 2.8 AT 4x4, a Ford Ranger Limited 3.2 AT 4x4, a Volkswagen Amarok Extreme 3.0 V6 AT 4x4 e a Nissan Frontier LE 2.3 AT 4x4, todas com motor turbodiesel.

Totalmente sob controle

Apesar de seus quase 5,5 metros de comprimento e 1,84 metro de altura, a S10 High Country é um veículo cordial com seu motorista. A direção elétrica facilita as manobras e o câmbio automático de 6 velocidades faz com precisão as trocas de marchas. No trânsito urbano, o acerto da suspensão é correto. A oscilação da carroceria, comum nos veículos desse segmento, tornou-se mais discreta com a evolução da S10. Com o aprimoramento do produto ao longo dos anos, as versões a diesel da picape da Chevrolet trepidam menos e proporcionam dirigibilidade similar à dos SUVs à gasolina.

O motor 2.8 turbodiesel de 200 cavalos se entende bem com a caixa automática de 6 velocidades e ambos fazem um trabalho eficiente, com passagens de marchas suaves e um bom gerenciamento da força necessária para mover a caminhonete com a intensidade desejada pelo motorista. O motor enche rápido e não demora a entregar o torque máximo. Em rodovias, o câmbio automático aproveita com eficiência o torque abundante do motor. Há um sutil “delay” na reação do propulsor quando o motorista pressiona o pé direito no acelerador, mas nada que prejudique a performance. A S10 ganha velocidade gradualmente, no entanto, o conjunto mecânico atinge e mantém velocidades de cruzeiro sem dar sinais de esforço. Em trechos mais sinuosos e em altas velocidades, quando detectam situações de perda de controle da direção, os sistemas eletrônicos aplicam correções automáticas nos freios para ajudar a reposicionar o veículo na direção exigida.

Macaque in the trees
O banco do motorista tem ajuste elétrico, a coluna de direção tem ajuste de altura e a direção é elétrica

Embora para muita gente seja improvável imaginar que alguém pretenda “chafurdar” na lama com uma picape de mais de R$ 200 mil, a High Country tem boa capacidade para o off-road. Quando é necessário encarar trechos acidentados ou subidas muito íngremes em pisos de baixa aderência, a tração 4x4 pode ser acionada no botão giratório no console central. A opção de tração integral reduzida com bloqueio de diferencial serve para tirar a picape das situações de trilhas mais complicadas e com baixíssima aderência.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta