últimas notícias

Estilo e motor turbo na versão Shine do Citroën C4 Lounge

Estilo, motor turbo, equipamentos e acabamento são os principais atrativos da versão Shine do Citroën C4 Lounge Da Reportagem De São Paulo

Desde que foi lançado no Brasil, em agosto de 2013, o C4 Lounge sempre teve o estilo como um de seus destaques. Talvez por isso, a Citroën tenha demorado quase quatro anos e meio para promover um “facelift” em seu sedã médio – a linha 2019 foi apresentada ao mercado nacional em março deste ano. As mudanças foram pontuais, seguiram a estética apresentada no C4 Lounge chinês e ficaram concentradas na parte frontal. O friso duplo da grade, que desenha a logomarca da Citroën, incorporou luzes diurnas em leds e avança na parte superior dos faróis. O conjunto óptico ganhou filete de leds na parte superior, subdivisões com frisos ­cromados para separar as parábolas de farol alto e baixo e também a luz dianteira de direção. Na traseira, o formato das lanternas de leds permanece o mesmo, mas as seções internas foram redesenhadas. As rodas de liga leve de 17 polegadas também são novas.

Na linha 2019, o sedã médio ganhou um novo painel de instrumentos, totalmente em LCD, com o velocímetro digital e os demais mostradores em barras – conta-giros, marcador de combustível e econômetro. No console central, se destaca uma central multimídia com tela touch de 7 polegadas que espelha celulares por meio da compatibilidade com Apple CarPlay, Android Auto e Mirror Link. Na tela, são projetadas as imagens da câmara de ré, que é item de série em todas as versões, assim como sistema de navegação por satelite (GPS), airbags laterais, apoio de braço central traseiro, ar-condicionado automático bizona, assistência de partida em rampa, controle de cruzeiro com limitador de velocidade, faróis de neblina dianteiros com iluminação lateral em curvas, computador de bordo, alarme, trio elétrico e controle de estabilidade e tração. Já sensores que acionam os limpadores de para-brisa e os faróis automaticamente, revestimentos em couro e airbags de cortina aparecem apenas na versão Shine, a “top” de linha, que incorpora ainda chave presencial e teto solar.

O motor do C4 Lounge permanece o mesmo em todas as versões e continua a ser um dos destaques do modelo. Trata-se do eficiente 1.6 turbo flex com 165/173 cavalos com gasolina/etanol e 24,5 kgfm de torque. Leva o sedã de zero a 100 km/h em 9,1/9,4 segundos com etanol/gasolina, com máxima de 215 km/h. Segundo o Inmetro, o sedã registrou média de 7,1/9,0 km/l na cidade/estrada com etanol e 10,5/13,2 km/l com gasolina no tanque, nas mesmas condições. Recebeu nota A na categoria e B na geral.

Apesar de discretas, as mudanças da linha 2019 embalaram os números de vendas do C4 Lounge. Esse ano, o sedã da Citroën emplacou uma média de 284 unidades por mês – em 2017, eram apenas 217 exemplares mensais. A evolução de 30% na média mensal de vendas não bastou para colocar o modelo na briga pela liderança do segmento de sedãs médios. No ranking, o Toyota Corolla aparece em primeiro, com 4.900 unidades vendidas por mês, seguido de longe por Honda Civic, com 2.180 unidades mensais em média, e por Chevrolet Cruze, com 1.650 unidades emplacadas a cada mês. Mas a evolução nas vendas obtida este ano posicionou o sedã da Citroën em outra disputa, a do “segundo pelotão” dos sedãs médios mais vendidos, que emplacam na faixa entre 250 e 400 unidades mensais. Nesse grupo, o C4 Lounge disputa posição com modelos como Ford Focus e Fusion, Nissan Sentra e Volkswagen Jetta. Já na “briga interna” da PSA Peugeot Citroën, o C4 Lounge está folgado – o “co-irmão” Peugeot 408, que utiliza a mesma plataforma, emplacou apenas 66 unidades mensais esse ano.

Performance turbinada

O segmento dos sedãs médios concentra modelos focados no conforto e que buscam atingir os consumidores mais conservadores do mercado automotivo. Embora não abra mão do conforto e do aspecto respeitável, no caso do C4 Lounge, o “powertrain” é uma atração à parte. O 1.6 THP flex de 173 cavalos não dá sinal de perder o fôlego em qualquer faixa de giro. O elevado torque máximo de 24,5 kgfm está disponível já a partir dos 1.400 giros e vai até os 4 mil giros. Esses números se revertem em uma ampla oferta de arrancadas consistentes, que garantem ultrapassagens seguras. A sensação de força é constante e é reforçada pela eficiente transmissão automática de 6 marchas, que faz um gerenciamento inteligente do vigor do motor.

Nas estradas, o C4 Lounge se revela bastante estável em altas velocidades, tanto nas retas quanto em trechos sinuosos. As rolagens de carroceria existem, mas são discretas. A Citroën têm uma longa tradição em suspensões, e o sedã honra o indefectível “double chevron” que ostenta na grade. Absorve com eficiência as lamentavelmente constantes irregularidades das pistas e “segura” bem o sedã nas curvas rápidas. Eventuais excessos são devidamente corrigidos pelo controle eletrônico de estabilidade. O bom isolamento acústico reforça a sensação de consistência oferecida pelo conjunto, mesmo em velocidades altas. É daqueles carros nos quais o motorista sempre se surpreende ao olhar o velocímetro – a velocidade revelada pelo instrumento normalmente supera a sensação transmitida ao motorista.

*Por Humberto Monteiro Pereira, da Agência AutoMotrix

Tops da Gazeta