Publicidade

X
DUAS RODAS

De cara nova, Yamaha Crosser 150 está mais radical

Com novo conjunto óptico, a Yamaha Crosser 150 2023 se comporta como uma gigante quando o assunto é aventura

Publicidade

A Crosser 150 S tem preço sugerido de R$ 16.590 e de R$ 17.160 para São Paulo, ambos adicionando o frete / Divulgação

A linha Crosser 150 2023 ganhou novo conjunto óptico com luzes de posição e projetor de leds – segue o mesmo padrão adotado na MT-03 e na Fazer 250 e cujo design lembra o da KTM Duke. Ou seja, a trail de entrada da Yamaha está de cara nova, mais radical, e deverá atrair um público mais jovem e “antenado”. O modelo conta tomada 12 volts junto ao guidão, que agora pode ser ajustado na altura (15 milímetros à frente). A nova lanterna também é em leds. O painel é totalmente digital, do tipo blackout, e traz informações como indicador de marchas, conta-giros e função “Eco”. Para maior segurança, a moto conta com freio ABS na dianteira. A nova linha Crosser está disponível em duas versões: a S, com um estilo mais urbano, com o para-lama baixo, próximo ao pneu e motor com acabamento em preto fosco, reforçando a “pegada” esportiva e mais urbana da moto. Já a versão Z foi inspirada do universo off-road, com o para-lama mais alto, que garante um visual mais aventureiro.

A linha Crosser 150 2023 ganhou novo conjunto óptico com luzes de posição e projetor de leds
A linha Crosser 150 2023 ganhou novo conjunto óptico com luzes de posição e projetor de leds (Divulgação) 

A trail urbana continua equipada com o tradicional motor monocilíndrico arrefecido a ar, com 149 cc, capaz de gerar a potência de 12,2 cavalos quando abastecido com gasolina e de 12,4 cavalos com etanol. Dessa forma, o sistema de injeção eletrônica de combustível Blueflex permite o abastecimento com gasolina, etanol ou mistura de ambos em qualquer proporção. O tanque de combustível tem capacidade para 12 litros, para uma autonomia de cerca de 400 quilômetros. Na parte ciclística, a moto conta com o tradicional garfo telescópico de 180 milímetros de curso, em ambas as versões, e protetores do tipo sanfona na dianteira. Usa disco de 245 milímetros e uma pinça de duplo pistão e ABS, oferecendo mais controle em emergências, como piso escorregadio e em outras condições de baixa aderência. Na traseira, o sistema é composto por um amortecedor único, com seu curso é de 160 milímetros, disco único de 203 milímetros e pinça de um pistão. A novidade fica por conta da adoção dos pneus Levorin, nas medidas 90/90 – 19 M/C 52P na dianteira, e 110/90 – 17 M/C 60P na traseira.

Leia Também

• Veja as atualizações das Honda CB 500F e CB 500X

A Crosser 150 S tem preço sugerido de R$ 16.590 e de R$ 17.160 para São Paulo, ambos adicionando o frete. A versão Z tem preço de R$ 16.790 mais o frete e de R$ 17.368 para o Estado de São Paulo. A Crosser conta com programa Revisão Preço Fixo, na qual o valor da revisão é o mesmo em toda as concessionárias participantes do Brasil. A garantia é de três anos.

O painel é totalmente digital, do tipo blackout, e traz informações como indicador de marchas, conta-giros e função
O painel é totalmente digital, do tipo blackout, e traz informações como indicador de marchas, conta-giros e função “Eco” (Divulgação)

Primeiras impressões
Serra acima

Para conferir todas as qualidades da Crosser 2023, a Yamaha elaborou um trajeto de cerca de 200 quilômetros pela região da Serra da Mantiqueira, com belos caminhos de terra e trechos asfaltados. A região é composta por quatro dos dez picos culminantes do Brasil. Um paraíso para a prática do motociclismo off-road que abriga o Parque Estadual Serra do Papagaio, o Parque Nacional de Itatiaia, a Pedra do Baú e o Parque Estadual de Campos do Jordão, no qual o “tour” foi concentrado.

Ficou claro que a pequena Crosser é uma gigante quando o assunto é aventura. A bordo dessa Yamaha o importante é chegar ao destino com segurança e conforto. O assento é amplo - em dois níveis - e com apoio lombar. Está a 85 centímetros em relação ao solo e se destaca pela eficiente ergonomia. Há um encaixe perfeito das pernas do piloto junto ao tanque, para quem gosta de pilotar de pé.

A “motinho” não é uma bigtrail, por isso, tem limitações de torque e potência para quem busca alta performance. Mas a Crosser é uma pequena notável e ideal para qualquer tipo de público, seja iniciante, experiente, mulher e baixinhos. Guerreira na terra e no asfalto, ela encara os desafios com bravura. Destaque para o equilíbrio do conjunto, ciclística acertada e pelos novos pneus, que se saíram muito bem em qualquer tipo de piso. O novo conjunto óptico oferece maior amplitude e potência de iluminação, tornando a condução noturna mais segura.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

VIOLÊNCIA E SEGURANÇA

Vale do Paraíba concentra quatro das seis cidades com maior taxa de homicídios e SP

A Secretaria de Segurança Pública divulgou dados sobre o cenário de criminalidade na Região

ELEIÇÕES 2022

Lula tem 43% contra 30% de Bolsonaro no estado de São Paulo, diz Datafolha

Em relação ao total do país, o petista tem menos eleitores em São Paulo

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software