últimas notícias
O número de mortes e casos de coronavírus estão em alta no Brasil
O número de mortes e casos de coronavírus estão em alta no Brasil
Foto: Sandro Pereira/Folhapress

Brasil é o pior país do mundo na luta contra a Covid-19, aponta estudo

Nova Zelândia é o país mais bem sucedido no combate à pandemia; levantamento do Lowy Institute foi divulgado nesta quinta

O Brasil foi o pior país no combate à Covid-19 no mundo, segundo um levantamento publicado nesta quinta-feira (28) por um grupo de pesquisas australiano. O estudo, feito pelo Lowy Institute, analisou quase 100 países e seguiu critérios, como casos confirmados, mortes e capacidade de detecção da doença.

O Brasil tem quase 9 milhões de infecções confirmadas e 220 mil mortes, para uma população de 209,5 milhões de habitantes, segundo dados desta quarta-feira.

Enquanto a Nova Zelândia registrou 2.299 casos da doença e 25 mortes em uma população de cerca de 5 milhões de pessoas. A doença foi praticamente erradicada.

Leia mais:

Partidos apresentam novo pedido de impeachment contra Bolsonaro

"Coletivamente, esses indicadores indicam quão bem ou mal os países administraram a pandemia", diz o relatório.

Além da Nova Zelândia, Vietnã, Taiwan, Tailândia, Chipre, Ruanda, Islândia, Austrália, Letônia
e Sri Lanka estão entre os dez principais países que melhor responderam à pandemia.

Por outro lado, no final da lista, além do Brasil, estão México, Colômbia, Irã e Estados Unidos. No total de mortes, o Brasil perde apenas para os Estados Unidos.

Os piores

Devido à falta de dados divulgados, a China não entrou na lista, de acordo com os autores.
Ainda segundo os autores, Pequim tentou manipular a percepção pública de como estava lidando com a epidemia.

Por fim, o instituto conclui que, de maneira geral, a resposta à doença foi ruim. "Alguns países administraram a pandemia melhor do que outros, mas a maioria deles se destacou apenas por seu desempenho insatisfatório".

"Em geral, os países com menos populações, sociedades mais coesas e instituições bem treinadas têm uma vantagem comparativa quando se trata de lidar com crises globais como a pandemia", diz o estudo.

Comentários

Tops da Gazeta