últimas notícias
O Plenário da Câmara dos Deputados, em março deste ano, no mês que começou a pandemia no País
O Plenário da Câmara dos Deputados, em março deste ano, no mês que começou a pandemia no País
Foto: Pablo Valadares/Camara dos Deputados

Deputados paulistas gastam R$ 993 mil em meio à pandemia

Com a pandemia, muitos brasileiros tiveram seus salários reduzidos e outros perderam seus empregos, porém alguns deputados mantiveram altos gastos

O Brasil vive uma crise econômica devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Desde março, início da quarentena, muitos brasileiros tiveram seus salários reduzidos e outros até perderam seus empregos. Porém, muitos deputados federais mantiveram altos gastos com a cota parlamentar. Os parlamentares do estado de São Paulo, por exemplo, gastaram R$ 993.262,79 no mês de maio.

A cota parlamentar é uma verba disponibilizada pela Câmara para a manutenção do mandato dos deputados. O dinheiro público pode ser usado com passagens aéreas e serviços de telefonia, correio, manutenção de escritórios de apoio, alimentação, hospedagem, locomoção, segurança, consultorias, divulgação, participação em eventos como palestras, complementação do auxílio-moradia (com um limite), combustíveis, além de reembolsos. O valor da cota é diferente para o deputado de cada estado.

Segundo dados do Portal da Transparência da Câmara dos Deputados (consultados no dia 2 deste mês), dos 70 deputados federais de São Paulo, os três que mais gastaram em cota em maio deste ano foram Orlando Silva (PCdoB), Paulo Teixeira (PT) e Dr. Sinval Malheiros (PODE).

Em primeiro lugar está Orlando Silva, com R$ 50.076,93 de despesas declaradas. Deste total, R$10.000,00 foram gastos com locação ou fretamento de veículos, R$17.000,00 com consultoria, pesquisa e trabalhos técnicos e R$5.629,23 em passagem aérea.

Com uma despesa de R$ 37.079,74, o deputado Paulo Teixeira é o segundo com mais gastos declarados. Foram R$705,00 com serviço de táxi, pedágio e estacionamento, R$4.734,88 com manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar e R$30.000,00 com divulgação da atividade parlamentar.

Já Dr. Sinval Malheiros aparece em terceiro lugar nos gastos. Foram usados pelo deputado R$ 37.037,15. Entre os gastos com a cota, R$27.000,00 foram utilizados com divulgação de atividade parlamentar.

Para consultar os gastos feitos por um deputado ou partido é só acessar o site (www.camara.leg.br/transparencia/gastos-parlamentares).

RESPOSTAS.

Por meio de nota, a assessoria do deputado Orlando Silva informou à reportagem que “o mandato de deputado federal Orlando Silva (PCdoB) foi muito demandado no período pandêmico[...] Itens como combustível se estabilizaram ou diminuíram, outros gastos são novos, a depender das necessidades de auxílio sobre os temas abordados nesse período. No conjunto dos meses houve gastos menores do que se permite. Portanto, não houve nem excesso e nem desvio de finalidade”.

A reportagem também entrou em contato com os deputados Paulo Teixeira e Sinval, porém até o fechamento deste texto os parlamentares ainda não haviam se pronunciado.

REGIÃO SUDESTE.

São Paulo foi o estado que mais gastou a cota parlamentar no mês de maio. Em seguida vem os deputados federais mineiros, que gastaram R$ 889.860,45. Já os parlamentares do Rio de Janeiro utilizaram R$ 840.887,78. Os deputados do Espírito Santo foram os mais econômicos gastando R$ 184.689,65.

Comentários

Tops da Gazeta