últimas notícias

Blairo Maggi diz que tabela de frete não pode embutir lucro sobre agricultores

"Poderá existir uma tabela de frete? Sim, poderá. Preço de piso? Sim, poderá. O que o agricultor não aguenta, e ele não aceitará, é ter na tabela embutido lucros das operações", disse Maggi Por Folhapress

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou nesta quarta-feira (4), que a tabela de frete deve trazer um preço mínimo e respeitar a "sazonalidade da agricultura".

"Poderá existir uma tabela de frete? Sim, poderá. Preço de piso? Sim, poderá. O que o agricultor não aguenta, e ele não aceitará, é ter na tabela embutido lucros das operações e não atender a sazonalidade da agricultura", disse.

De acordo com Maggi, o frete deve seguir a lei da oferta e da procura. "Uma tabela de custo mínimo pode ser absorvida, mas ela tem que ser o mínimo e a lucratividade, a atratividade deve vir em função do quanto é transportado e quantas pessoas se envolvem nisso", disse.

Ele também disse que a indefinição dos preços de frete causará um pico inflacionário.

"Com toda certeza nós teremos um pico inflacionário sobre isso porque nós não estamos falando só sobre grãos, estamos falando sobre todo tipo de transporte, que vai encarecer e isso vai ser repassado para os preços", afirmou.

O ministro falou depois de cerimônia de anúncio de plano de crédito para a safra 2018/2019, no Banco do Brasil, em Brasília.

Maggi disse esperar que a medida provisória do frete, que está no Congresso Nacional, seja votada antes do recesso parlamentar, em julho. "É urgente que se defina isso, nós esperávamos que o Supremo desse uma posição, também não deu, agora tem a medida provisória sendo votada", disse.

"Esperamos que ela traga algum conforto, que possa criar uma condição de um preço de referência, um preço mínimo de frete, para dar estabilidade aos caminhoneiros, mas que também não impute aos produtores rurais um frete superior a media que vinha sendo pago", afirmou o ministro.

Tops da Gazeta