últimas notícias

Justiça decreta prisão preventiva do prefeito de Japeri

Carlos Moraes Costa foi preso na manhã de sexta (27), na Operação Sênones do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e da Polícia Civil, acusado de associação para o tráfico Por Agência Brasil

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro converteu a prisão em flagrante do prefeito de Japeri, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Carlos Moraes Costa, em preventiva. A decisão foi dada no plantão noturno de sexta-feira, pelo juiz Paulo César Vieira de Carvalho Filho, a pedido do Ministério Público.

Costa foi preso na manhã de sexta-feira (27), na Operação Sênones do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e da Polícia Civil, acusado de associação para o tráfico.

Na decisão, o juiz destacou que no momento da prisão, o prefeito estava de posse de uma pistola 9 mm, três carregadores e 49 cartuchos intactos, o que “não tem relação com o exercício da função”. Ainda segundo o texto da decisão, a pistola não tinha registro e a posse de arma de Costa estava vencida desde 1995.

O juiz afirma ainda que Carlos Moraes Costa responde a dois processos relativos a crime de responsabilidade e à Lei de Licitações, além de dois inquéritos que investigam vantagem indevida e relativas a Lei Eleitoral.

“Assim, na linha de toda fundamentação até aqui exposta, tem-se como induvidosa a necessidade de custódia cautelar do réu como garantia da ordem pública, visando obstar sua sistemática reiteração criminosa, considerando-se elementos concretos e objetivos do processo”.

A decisão destaca a Operação Sênones, “voltada a desbaratar uma sofisticada organização criminosa, da qual faria parte o Prefeito Carlos Moraes e que atuava, dentre outros crimes, também com vinculação direta ao tráfico de drogas e especificamente com a facção criminosa Comando Vermelho”, e fala também do “comportamento agressivo” de Costa, ao ameaçar jornalistas quando foi preso.

Tops da Gazeta