últimas notícias

Acervo

'Parece até filme de terror', diz programa de Alckmin sobre 2º turno entre Bolsonaro e Haddad

A estratégia da campanha tucana é tentar convencer o eleitor bolsonarista que o voto no capitão reformado vai recolocar o PT no governo Por Folhapress De São Paulo

Estagnado nas pesquisas de intenção de voto, o candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, elevou o tom em seu programa no rádio nesta quinta-feira (20). A estratégia é tentar convencer o eleitor bolsonarista que o voto no capitão reformado vai recolocar o PT no governo.

"Parece até filme de terror. Um não tem experiência e outro quer vencer na base do grito", afirma a campanha tucana sobre um eventual segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta (20) mostra o parlamentar com 28% das intenções de voto, seguido pelo petista, que tem 16%. Na simulação do segundo turno, ambos estão empatados com 41%.

Já o candidato do PSDB tem 9%, mas venceria o petista num segundo turno, com 39% contra 35%, e ficaria tecnicamente empatado com Bolsonaro, com 40% contra 39% do capitão reformado.

Dessa vez, as críticas aos dois rivais também aparecem na voz de Alckmin, que equipara o cenário a um "salto no escuro" e cita os impeachments de Fernando Collor (PTC) e Dilma Rousseff (PT) para exemplificar que o país não pode ser governado por alguém sem apoio e experiência ou por "um poste vermelho".

"Não podemos repetir os mesmos erros. Convido você a pensar com o espírito desarmado", diz.

A mensagem é reforçada pela vice Ana Amélia (PP), que diz que muitos querem votar em Bolsonaro para não eleger o PT, mas que o efeito será o contrário.

Na campanha de Haddad, o PT critica Michel Temer (MDB), dizendo que, com ele, "o povo está em uma cilada". O petista ainda apresenta propostas para retomar a geração de empregos no país, e sua vice, Manuela D'Ávila (PC do B), promete luta pela igualdade salarial entre homens e mulheres.

A pesquisa Datafolha entrevistou 8.601 eleitores de 323 municípios na terça (18) e na quarta (19). A margem de erro é de dois pontos percentuais. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. O levantamento, registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-06919/2018, foi contratado pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo.

Tops da Gazeta