últimas notícias

Para Alexandre de Moraes, defesa de fechamento do STF é ‘absurdo atentado verbal’

Para Moraes, é uma contradição o país viver o maior período de estabilidade democrática desde a Constituição de 1988 e um parlamentar fazer uma declaração de "maneira irresponsável" Por Folhapress

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes afirmou nesta segunda-feira (22) que nada justifica a defesa do fechamento da Suprema Corte.

Em seminário, na capital paulista, ele afirmou que é uma contradição o país viver o maior período de estabilidade democrática desde a Constituição de 1988 e um parlamentar fazer uma declaração de "maneira irresponsável".

Em palestra, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), disse que "basta um soldado e um cabo" para fechar o STF. O pai do parlamentar desautorizou a declaração.

"As declarações demonstram a atualidade da famosa frase de Thomas Jefferson: 'O preço da liberdade é a eterna vigilância'. Nada justifica a defesa do fechamento do STF", disse.

O ministro disse ainda que nem o desconhecimento dos pilares da democracia nem a "total ignorância" do princípio da separação dos poderes justificam "o absurdo atentado verbal à autonomia e independência do Poder Judiciário".

Ele disse ainda que cabe à PGR (Procuradoria-Geral da República) analisar se o contexto da manifestação, feita fora do exercício das funções do parlamentar, pode configurar delito de incitação de animosidade, previsto na Lei de Segurança Nacional.

No domingo (21), a presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Rosa Weber, disse que um magistrado que honra o seu papel não se deixa abalar por manifestações que possam ser compreendidas como inadequadas.

Tops da Gazeta