últimas notícias

Caffarelli deixa presidência do Banco do Brasil para assumir chefia da Cielo

Paulo Roberto Caffarelli deixa o BB para assumir, a partir de 5 de novembro, como diretor-presidente da empresa de meios de pagamentos Cielo Por Folhapress De São Paulo

O Banco do Brasil anunciou nesta sexta-feira (26) a renúncia de Paulo Roberto Caffarelli da presidência do banco a partir do dia 1º de novembro.

O executivo deixa o BB para assumir, a partir de 5 de novembro, como diretor-presidente da empresa de meios de pagamentos Cielo.

"Na Cielo, Caffarelli inicia sua jornada com todas as ferramentas necessárias para impulsionar as entregas e os resultados, com foco no incremento da competitividade e no contínuo investimento em inovação", disse a Cielo em comunicado ao mercado.

De acordo com a Cielo, o executivo chega para"impulsionar as entregas e os resultados da companhia, com foco em inovação e em competitividade".

Em nota, o presidente do conselho administrativo da empresa de cartões, Marcelo Noronha, afirma que o "conselho tem total confiança de que Caffarelli fará um excelente trabalho à frente da Cielo, nesse momento de rápida evolução tecnológica da indústria".

O Banco do Brasil passará a ser presidido por Marcelo Augusto Dutra Labuto, atual vice-presidente de Negócios de Varejo da instituição.

Labuto, 47, funcionário de carreira do BBI desde 1992, também é presidente do conselho de administração da BB Seguridades Participações.

Segundo comunicado do banco, o presidente Michel Temer indicou Labuto para o cargo.

"O Excelentíssimo Sr. Presidente da República, Michel Temer, indicou, nesta data, o Sr. Marcelo Augusto Dutra Labuto para ocupar o cargo de presidente do BB no lugar do Sr. Paulo Caffarelli", disse o BB em comunicado.

Caffarelli está no comando do Banco do Brasil desde maio de 2016, indicado por Temer (MDB) logo após o afastamento de Dilma Rousseff, durante o processo de impeachment.

Controlada pelo BB e pelo Bradesco, a Cielo está sem presidente desde julho deste ano, quando Eduardo Gouveia renunciou ao cargo alegando motivos pessoais. O posto está ocupado de forma interina pelo diretor de relações com investidores, Clovis Poggetti Junior.

A Cielo tem apanhado na Bolsa, reflexo da dificuldade de manter receitas e fatia de mercado com o aumento da competição no setor de maquininhas. Atualmente, as ações são negociadas ao redor da faixa de R$ 12, no menor patamar desde 2012.

No segundo trimestre, a empresa havia divulgado queda em de 2,5% em sua base de maquininhas, na comparação com os três meses anteriores. Os números do terceiro trimestre serão publicados na próxima semana.

O desempenho negativo da Cielo contrasta com a ascensão de novas empresas nesse mercado. Nesta quinta (25), a brasileira Stone passou a ter ações negociadas na Nasdaq, em Nova York. Com a venda de ações, a companhia captou US$ 1,5 bilhão.

No começo do ano, a PagSeguro abriu capital em Nova York, em operação que gerou US$ 2,3 bilhões (R$ 8,5 bilhões).

BIOGRAFIAS

No Banco do Brasil, Paulo Caffarelli ocupava o cargo de presidente desde maio de 2016. Ainda na instituição, foi Vice-Presidente de Cartões e Novos Negócios de Varejo, Vice-Presidente de Negócios de Atacado, Negócios Internacionais e Private Banking. Exerceu também as funções de Diretor de Distribuição, Logística, Marketing e Comunicação e de Novos Negócios de Varejo.
Considerando as suas duas passagens pelo BB, Caffarelli soma mais de 30 anos de experiência na empresa.

Na indústria de meios de pagamentos, ocupou a presidência da ABECS (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito), entre os anos de 2009 a 2012, como um dos interlocutores com o Banco Central para o desenvolvimento da autorregulação do setor.

O executivo ainda presidiu o conselho de administração da Cielo e foi membro do conselho de administração da Vale S.A. em duas ocasiões, BB Gestão de Recursos (DTVM), Brasilcap Capitalização S.A., Brasilprev Seguros e Previdência S.A., Mapfre Brasil Participações S.A., Banco Votorantim Participações S.A., Banco Votorantim S.A., entre outros.

Marcelo Lobato, que assume a presidência do BB, tem 47 anos e é natural de Belo Horizonte (MG).

Funcionário de carreira, entrou no BB em 1992 e, desde então, ocupou diversos cargos. Foi diretor de empréstimos e financiamentos, gerente-geral da Unidade de Governança Estratégica e diretor presidente da BB Seguridade, após passar pela diretoria de seguros, previdência e capitalização. Ele é graduado em administração e tem MBA em Marketing.

Lobato também exerce, desde abril de 2017, as funções de presidente do conselho de administração da BB Seguridade Participações S.A., membro do conselho de administração do Banco Votorantim S.A. e membro do conselho de administração da Cielo S.A. desde abril/2017.

Tops da Gazeta