últimas notícias

Maia diz que Constituição se mostra mais forte que seus críticos

Ao discursar na sessão solene do Congresso em homenagem aos 30 anos da Constituição Federal, Maia defendeu que a Carta Magna seja modernizada Por Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, avaliou nesta terça-feira (6) que no contexto atual a Constituição Federal se mostrou forte. “Em um contexto de extrema polarização, houve quem pensasse em trocar a Constituição para resolver problemas. Nesses 30 anos, a Constituição se mostrou mais forte do que seus críticos”, destacou.

Ao discursar na sessão solene do Congresso em homenagem aos 30 anos da Constituição Federal, que entre outras autoridades teve a presença do presidente Michel Temer e do presidente eleito Jair Bolsonaro, Maia defendeu que a Carta Magna seja modernizada. “O fato de não querermos uma nova Constituição não é o mesmo que negar a necessidade de reformas, pelo contrário, constituições longevas passam por processos profundos de mudanças para que possam continuar dialogando com o mundo, mudam para permanecer, alteram o texto para fortalecer suas fundações”, disse.

Nesse sentido, a agenda de reformas estruturais, em especial a reforma da Previdência, foi lembrada pelo presidente da Câmara. “Temos agendas prementes, algumas de ajuste no texto constitucional, outras a adoção de medidas legislativas que garantam a sua eficácia”.

Ao defender a reforma da Previdência, Maia destacou que é preciso controlar o déficit e construir o sistema previdenciário mais justo, que não seja concentração de riquezas, ainda que, para isso, seja preciso “enfrentar criticas e incompreensões do processo”.

No campo da segurança pública, o presidente da Câmara disse que é preciso de uma resposta coordenada e inteligente à violência. “Combater o crime organizado, o tráfico de armas e drogas exige um Sistema Único de Segurança Pública em pleno funcionamento. A Câmara tem feito sua parte até o momento, e fará mais”, garantiu citando anteprojetos coordenados por comissões de juristas. Um deles é o que reforma a Lei da Improbidade Administrativa que, segundo ele, traz contribuições importantes de combate à corrupção.

Maia concluiu sua fala lembrando o ex-presidente da Câmara Ulysses Guimarães, e disse que a sobrevivência da democracia é condicionada à persistência da Constituição Federal. “Há vitórias que precisam ser lembradas, mas há mais a fazer do que lembrar. Que não nos falte força e sabedoria para cumprir nossos desígnios. O melhor tributo que podemos prestar à população é o trabalho incessante”, afirmou.

Tops da Gazeta