últimas notícias

RJ entra em estágio de crise após chuvas e queda de parte de túnel

O município entrou em estado de crise após chuvas deixarem o trânsito caótico e uma estrutura do Túnel Acústico Rafael Mascarenhas cair sobre um ônibus na Gávea Por Folhapress

A cidade do Rio de Janeiro entrou em estágio de crise, o mais grave na escala da prefeitura, às 12h35 desta sexta (17), após chuvas deixarem o trânsito caótico e uma estrutura do Túnel Acústico Rafael Mascarenhas cair sobre um ônibus na Gávea, na zona sul carioca. Segundo os bombeiros, não houve feridos.

O Rio tem sofrido com o clima neste ano. No início de abril, temporais deixaram dez mortos, seis feridos e mais de mil desalojados depois de causarem soterramentos, deslizamentos e enxurradas. O prefeito Marcelo Crivella (PRB) chegou a reconhecer que sua gestão falhou ao não prever os problemas.

Nesta sexta, o município já estava em estágio de atenção pelas chuvas desde as 10h55, depois que um acidente entre um ônibus e uma moto terminou em uma morte e travou o tráfego no túnel Rebouças, que liga a zona sul ao centro e à zona norte da cidade. A vítima era C.J.H.J., 45. O túnel foi liberado por volta das 14h.

O motorista do ônibus que foi atingido pelo desabamento da cobertura disse ao portal G1 que teve que se jogar embaixo do volante. "Estava engarrafado, eu vi desmoronando e aí eu pedi passagem, e ninguém queria parar. Eu joguei o ônibus na frente quando tudo desmoronou em cima do ônibus. Eu me joguei embaixo do volante", afirmou.

O estágio de crise é o terceiro nível em uma escala de três. Isso indica que ao menos uma grave ocorrência ou evento inesperado de grande porte está causando algum tipo de transtorno na cidade ou que o risco de alagamentos e deslizamentos devido a chuvas é alto.

Segundo o Centro de Operações municipal, o trânsito na cidade chegou a ficar duas vezes mais intenso que o normal: foram registrados 121 km de congestionamento por volta das 13h30, sendo que a média para o horário nas últimas três sextas-feiras foi de 61 km.

A prefeitura foi chamada, desde quarta (15), para remover ao menos 28 árvores caídas e desobstruir cerca de 30 pontos com bolsões d'água. A situação ainda fez Marcelo Crivella pedir aos servidores públicos municipais que encerrem o expediente mais cedo nesta sexta, para diminuir o rush do fim da tarde.

A prefeitura recomendou que os motoristas evitem trafegar entre as zonas sul e oeste. As opções para quem precisar fazer o trajeto são o metrô, a Linha Amarela, o Alto da Boa Vista e a estrada Grajaú-Jacarepaguá.

Isso porque, desde a manhã desta quinta (16), a avenida Niemeyer, outra via principal de ligação entre as duas regiões, também está totalmente bloqueada depois que um deslizamento de terra tomou a pista pela segunda vez em aproximadamente um mês. O prefeito anunciou que a avenida será reaberta às 18h desta sexta.

Tops da Gazeta