últimas notícias

Bolsonaro diz que enviará projeto de lei que gerará receita maior que a da reforma da Previdência

Em café da manhã com a bancada nordestina, no Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que ainda não pode dar detalhes sobre a iniciativa, mas afirmou que será aprovada com facilidade Por Folhapress

O presidente Jair Bolsonaro informou nesta quarta-feira (22) que enviará ao Poder Legislativo um projeto de lei que gerará uma receita para a máquina pública superior à prevista com a reforma previdenciária.

Em café da manhã com a bancada nordestina, no Palácio do Planalto, ele disse que ainda não pode dar detalhes sobre a iniciativa, mas afirmou que será aprovada com facilidade.

A expectativa do texto inicial apresentado pela equipe econômica era de que a reforma previdenciária geraria um ganho de cerca de R$ 1 trilhão em dez anos.

Com a desidratação da proposta na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), a estimativa baixou para cerca de R$ 800 milhões.

"Não quero adiantar aqui. Brevemente, estará sendo apresentado aos senhores um projeto que, com todo o respeito ao Paulo Guedes, a previsão é de termos dinheiro em caixa maior do que a reforma previdenciária em dez anos",disse.

O presidente disse ainda que "ninguém reclamará da iniciativa" e e que ela "será aprovada por unanimidade" tanto na Câmara como no Senado.

O presidente não deu maiores detalhes sobre a iniciativa.

Segundo assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, trata-se de uma proposta que ainda está em fase embrionária.

No mesmo discurso, Bolsonaro disse que não pretende criar novos impostos ou elevar a carga tributária no país.

"Ninguém aguenta mais essa questão", disse.

Em uma breve fala, o presidente reconheceu que nem toda a sua equipe ministerial tem "tato político", mas ressaltou que todos são bem-intencionados e têm desejo de acertar.

Ele lembrou que fará na sexta-feira (24) sua primeira viagem oficial ao Nordeste e disse que, no exercício do mandato, tem aprendido mais com os deputados e senadores do que com os governadores.

"Com todo o respeito que nós temos a todos os governadores, o somatório de vocês é muito maior do que os governadores", afirmou.

Tops da Gazeta