últimas notícias
Manutenção de calçadas ficou em 1º entre as ações mais urgentes para o bem-estar do pedestre
Manutenção de calçadas ficou em 1º entre as ações mais urgentes para o bem-estar do pedestre
Foto: THIAGO NEME/GAZETA DE S. PAULO

Para 68%, SP deve melhorar calçadas 'com urgência'

MANUTENÇÃO. Pesquisa ainda aponta que 74% dos entrevistados relatam ter sofrido ou visto alguém sofrer queda em calçadas

A pesquisa Viver em São Paulo: Pedestre aponta que 74% dos moradores da cidade já caíram na calçada ou presenciaram uma situação desse tipo. Ela também indica que 68% da população considera a manutenção de calçada como a medida mais urgente que a prefeitura precisa tomar para garantir o "bem-estar dos pedestres".

O levantamento foi encomendado pela Rede Nossa São Paulo, com margem de erro de três pontos percentuais. Ao todo, 800 pessoas com 16 anos ou mais foram entrevistadas em todas as regiões da Capital entre 3 e 23 de abril.

Além das quedas, 60% dos entrevistados apontaram terem sido ou visto alguém ser assaltado ou sofrido algum tipo de agressão física em via pública. Já 53% disseram terem sido atropelados ou visto alguém ser atropelado, mesma porcentagem de pessoas que afirmaram terem sofrido (ou visto alguém sofrer) ameaças de um motorista.

A questão ainda aponta que 47% dos paulistanos já sofreram (ou viram alguém sofrer) assédio na rua, enquanto 38% tiveram (ou foram testemunhas de) quedas na faixa de pedestres e 25% caíram em bueiros.

Sobre as ações mais urgentes para o bem-estar do pedestre, a primeiro colocada foi manutenção de calçadas (68%), seguida de manutenção de faixa de pedestres (44%), aumento do tempo de travessia no semáforo (44%) e melhorias na iluminação (44%). A manutenção da calçada foi a mais citada em todas as regiões, especialmente no centro (86%).

O Ibope também fez a seguinte pergunta: "Considerando seus deslocamentos a pé de modo geral, quais são os aspectos que mais te incomodam?". Do total, 68% respondeu buracos nas calçadas, seguido de irregularidades calçadas (53%), calçada estreita (47%), iluminação insuficiente (39%), sacos de lixo na calçada (38%), obstáculos na calçada (35%), fiação na calçada (31%), alta velocidade dos carros (28%), falta de acessibilidade (21%), área sem sombra/local para sentar (17%) e quantidade de saídas de garagens (8%).

Além disso, a pesquisa também questionou os lugares que os paulistanos mais costumam ir a pé. O primeiro local foi padaria (64%), em sequência veio mercado/feira (59%), farmácia (54%) e ponto de ônibus (53%), sendo que o último colocado foram os espaços culturais (8%).

De acordo com o site da instituição, a Rede Nossa São Paulo é uma organização da sociedade civil "que tem por missão mobilizar diversos segmentos da sociedade para, em parceria com instituições públicas e privadas, construir e se comprometer com uma agenda e um conjunto de metas, articular e promover ações, visando a uma cidade de São Paulo justa, democrática e sustentável". (EC)

Tops da Gazeta