últimas notícias
Estação Santa Cruz, da Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo
Estação Santa Cruz, da Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo
Foto: Thiago Neme/Gazeta de S.Paulo

Metrô de SP terá 2 novas estações: Comendador Sant'Anna e Jardim Ângela

Expansão da Linha 5-Lilás foi anunciada nesta terça pelo governador João Doria; projeto também prevê construção de terminal de ônibus

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta terça-feira (23) o início da expansão da Linha 5-Lilás até o Jardim Ângela, na zona sul da Capital. O projeto contempla duas estações: Comendador Sant’Anna e Jardim Ângela.

O projeto prevê também a construção de um terminal de ônibus no Jardim Ângela, para suportar o aumento da demanda de passageiros.

 

 

De acordo com o governo, os estudos serão iniciados com a elaboração dos projetos funcionais, projetos básicos e executivo. O prazo para entrega de todos os estudos é de até 24 meses. A Secretaria de Transportes Metropolitanos e a ViaMobilidade, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 5-Lilás desde 2018, negociam os termos para a construção da obra.

“É muito importante que tenhamos um início breve das obras, primeiro para demonstrar que a obra de fato vai seguir seu ritmo, segundo porque em um período tão duro de pandemia, quando vem uma obra que vai ajudar a mobilidade da população mais carente, mais vulnerável a chegar mais rápido ao trabalho e a voltar logo pra casa, é uma esperança”, disse João Doria.

A estação Comendador Sant’Anna ficará na avenida de mesmo nome, uma região que concentra comércios, serviços e equipamentos públicos. Já a Estação Jardim Ângela, que estará próxima ao Hospital Municipal M’Boi Mirim, será subterrânea e conectada ao terminal já existente da SPTrans e ao novo terminal a ser construído.

Para viabilizar o projeto, a avenida Carlos Caldeira Filho será prolongada do Capão Redondo até a Estrada do M’Boi Mirim. O trecho acompanhará o córrego Capão Redondo, que será canalizado, e terá uma pista em cada sentido, com ciclovia. Para a implantação das obras serão necessárias desapropriações e remoção de interferências.

Comentários

Tops da Gazeta