últimas notícias
A 25ª edição da Parada do Orgulho LGBT  de São Paulo será realizada, pelo segundo 
ano consecutivo, de forma virtual, por conta das restrições causadas pela pandemia
A 25ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo será realizada, pelo segundo ano consecutivo, de forma virtual, por conta das restrições causadas pela pandemia
Foto: Facebook/Parada do Orgulho LGBT de São Paulo - APOGLBT

Prefeitura fará testes de HIV durante Parada do Orgulho LGBT+ neste domingo

Atividade será realizada das 11h às 15h no Elevado Presidente João Goulart, o Minhocão, próximo à estação Marechal Deodoro do Metrô

Sob o tema Ame+, Cuide+, Viva+, a cidade de São Paulo recebe, neste domingo (6), a 25ª edição da Parada do Orgulho LGBT+ que, pela primeira vez em sua história, aborda diretamente uma questão de saúde pública: a epidemia de HIV/Aids. Devido às ações de controle da pandemia de Covid-19, pelo segundo ano consecutivo, o evento será realizado virtualmente. A Coordenadoria de IST/Aids da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) estará presente em uma das poucas ações presenciais da Parada: a testagem rápida para identificação do HIV.

A atividade será realizada das 11h às 15h, com término do cadastro meia hora antes do fim dos testes, no Elevado Presidente João Goulart, o Minhocão, próximo à estação Marechal Deodoro do Metrô. Um veículo adaptado para realização de testes estará no local para atender ao público interessado.

A ação contará com duas tendas para dar o resultado do teste e assim evitar que mais do que duas pessoas sejam testadas dentro do veículo ao mesmo tempo. Serão utilizados separadores de fila para garantir uma distância entre as pessoas e não permitir aglomerações.

O tipo de teste rápido utilizado será por punção digital, para, dessa forma, evitar que o cidadão tenha que retirar a máscara, o que acontece com os kits que utilizam fluido oral. O procedimento é rápido, simples, seguro e sigiloso. O resultado sempre é dado por um profissional da saúde em local isolado.

Em caso de teste reagente, será realizado um segundo exame confirmatório. Em caso novamente positivo, a pessoa será orientada a buscar uma unidade de saúde especializada em IST/Aids para o início do tratamento. A equipe que realiza ação extramuros fará o acompanhamento desta pessoa até que ela seja acolhida na unidade de escolha.

Além dessa ação de testagem, serão colocados à disposição do público preservativos externos (também conhecidos como masculinos) e internos (femininos), bem como sachês de gel lubrificante e autoteste para HIV.

A Parada

A segunda edição on-line da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo vai ser realizada em 6 de junho, a partir das 14h, e terá como tema a luta por respeito às pessoas que vivem com HIV/Aids. Serão oito horas de transmissão ao vivo com shows e informações sobre temas que cercam a temática. A ideia é contribuir com a mensagem de que viver com o vírus não deve ser motivo de vergonha ou discriminação.

De acordo com os organizadores, vai haver a participação de artistas, influenciadores e outros convidados para debater o tema intitulado “HIV/Aids: Ame + Cuide + Viva +”. Os médicos infectologistas Vinícius Borges e Rico Vasconcelos, e a co-vereadora de São Paulo Carolina Iara, que vive com HIV, são algumas das pessoas que irão participar da ParadaSP Ao Vivo.

Várias atrações já foram confirmadas e serão divulgadas em breve. No dia do evento, antes de cada show, a dupla Diva Depressão mostrará tudo o que acontece nos bastidores. Além do casal, Lorelay Fox, Spartakus, Nátaly Neri, Mandy Candy, Bielo, Lucas Raniel, Louie Ponto, Jean Luca, Tchaka e Alberto Pereira Jr. compõem o time de hosts.

Entre as organizações presentes que apoiam o evento, realizado pela Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOLGBT-SP), estão o Programa Conjunto da Organização das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), a Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (Abia), Grupo de Incentivo à Vida (Giv), Grupo Pela Vidda SP, Fórum das ONG Aids do Estado de São Paulo (Foaesp), Rede de Jovens SP+, Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e Aids e o Movimento Paulistano de Luta Contra a Aids (Mopaids).

“O tema HIV/Aids: Ame + Cuide + Viva + é um alerta para a sociedade combater os estigmas e preconceitos que cercam o vírus, mas também é um convite para celebrar a vida, a alegria e a união das pessoas LGBT+ e de toda a sociedade, principalmente neste momento em que o país ainda enfrenta, a duras penas, a pandemia do coronavírus”, explica, em nota, a organização do evento.

De acordo com a organização, uma prova da importância do tema está no Índice de Estigma em Relação às Pessoas Vivendo com HIV/Aids de 2019, realizado pelo Unaids nas cidades de São Paulo, Recife, Salvador, Porto Alegre e Manaus. Cerca de 47% das pessoas entrevistadas nessas cidades revelaram terem sido alvo de comentários ou fofocas sobre sua soropositividade. A difamação também está dentro da família, como relataram 42% dessas pessoas. Já cerca de 19% afirmaram terem sofrido assédio verbal pelo mesmo motivo.

“É importante entender que o HIV/Aids não é exclusividade de algumas pessoas ou de determinados grupos. É um tema que deve ser abordado com inteligência, empatia e boa vontade por toda a sociedade porque é transversal e perpassa por diversos recortes sociais, étnicos-raciais, religiosos e geográficos. Mas também é importante tratar do assunto com leveza para podermos amar mais, cuidarmos mais uns dos outros e vivermos mais e melhor. É isso que queremos trazer nessa segunda versão virtual da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo”, afirma Cláudia Regina Garcia, presidente da APOLGBT-SP.

Serviço
25ª Parada do Orgulho LGBT+
Domingo, 6 de junho
Testagem de HIV
Das 11h às 15h (cadastro termina meia hora antes do fim dos testes)
Estrutura montada no Elevado Presidente João Goulart, o Minhocão, próximo da Estação de Metrô Marechal Deodoro
Transmissão ao vivo
Das 14h às 22h, no canal da APOLGBT no YouTube

Comentários

Tops da Gazeta