últimas notícias

Moradores relatam ataques de gangue a pé no Minhocão

Moradores da região relatam a atuação de um grupo a pé que faz roubos à noite, sobre o viaduto, quando já está fechado para veículos Por Estadão Conteúdo

Casos recentes de roubos no Elevado Presidente João Goulart, o Minhocão, no centro de São Paulo, assustam frequentadores. Moradores da região relatam a atuação de um grupo a pé que faz roubos à noite, sobre o viaduto, quando já está fechado para veículos. Dados obtidos pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, por meio da Lei de Acesso à Informação, apontam aumento do número de crimes no elevado de 2015 até 2017.

Em fevereiro deste ano, o então prefeito João Doria (PSDB) sancionou uma lei que criou o Parque Municipal do Minhocão e, em março deste ano, o Minhocão, que já era fechado para carros aos domingos, passou a ser interditado também aos sábados. Desde maio, as interdições à noite começam mais cedo, às 20 horas - antes, eram às 21h30.

No sábado, a modelo P.M., de 28 anos, diz ter sido atacada por seis pessoas - duas mulheres - no viaduto. A abordagem, de acordo com ela, ocorreu por volta das 20 horas, quando corria no elevado com fones de ouvido, no sentido da Praça Roosevelt. “Eles me fecharam e pediram o celular. Fiquei sem reação e começaram a me agredir.”

Segundo conta, ela levou um soco no rosto e teve os cabelos puxados. A vítima caiu no chão. “Enfiaram a mão na minha roupa e pegaram meu celular”, afirmou ela, que disse ter ido somente ontem à tarde registrar o boletim de ocorrência.

Dados obtidos pelo “Estado” por meio da Lei de Acesso à Informação mostram que o número de crimes registrados no elevado cresce ano a ano. Enquanto em 2015 haviam sido registrados 18 crimes no local, em 2016 esse número passou para 76, subindo para 90 ao longo do ano passado. Furto foi o crime mais frequente no ano passado, com 45 registros, seguido de roubos, com 36 casos.

Sobre as ocorrências recentes, a Secretaria da Segurança Pública informou, em nota, que não há registros e destacou ações. “Ao longo da via policiais a pé e de bicicleta realizam o policiamento ostensivo e preventivo, principalmente nos dias em que a via é aberta aos pedestres e ciclistas.

Tops da Gazeta