últimas notícias

Grupo protesta contra programa Atende

Manifestantes se opuseram a programa de atendimento a usuários de droga no bairro da Armênia, região central da Capital Da Reportagem De São Paulo

Moradores e comerciantes do bairro da Armênia, na zona norte de São Paulo, promoveram uma passeata na manhã de quinta-feira (25) contra a instalação de tendas de assistência a dependentes químicos, parte do Programa Atende, da Prefeitura de São Paulo.

Os manifestantes caminharam pela avenida Tiradentes até o cruzamento com a avenida Cruzeiro do Sul, próximo ao local onde seria instalado o Atende.

Em uma das faixas - entre dezenas outras -, se lia: “Em breve mais uma Cracolândia aqui”. A prefeitura não confirmou se vai implantar o programa no local.

Houve um abaixo-assinado virtual, com mais de sete mil assinaturas, contra a instalação.

Em entrevista à “TV Globo”, uma manifestante disse: “O tratamento acho justo e válido; a gente só não quer que venha junto com o tratamento outras coisas, porque a gente sabe que junto com ele vem as consequências, vem usuários de droga, traficantes”.

Outra moradora afirmou que já há outros programas do tipo instalados na Capital.

“Já temos quatro equipamentos para esse tipo de público - no Complexo Canindé, no Complexo Zaki Narchi, atrás da Portuguesa e o Prates. Fora isso temos três CTAs na região. Não tem condições de colocar política pública onde já tem várias e não tem funcionamento eficaz”, explicou.

Nos cinco Atendes existentes na Capital, os usuários podem tomar banho, comer e participar de atividades recreativas e profissionalizantes. A prefeitura tem a intenção de estender o programa, que existe desde junho de 2017.

Em nota, a prefeitura diz que já realizou 1,3 milhão de atendimentos de dependentes químicos, e que não existe prazo para que o estudo dos próximos locais seja concluído.

Tops da Gazeta