últimas notícias

Virada na avenida Paulista tem atos de vandalismo

Agência da Caixa e uma unidade da Marisa amanheceram com vidros quebrados Da Reportagem De São Paulo

Apesar do clima de festa, houve também episódios de violência na festa de virada de ano na avenida Paulista. Uma agência da Caixa Econômica Federal foi alvo de vandalismo. A fachada de uma loja Marisa também teve os vidros quebrados durante a madrugada.

A unidade da Marisa amanheceu com várias roupas espalhadas pelo chão, além dos vidros quebrados, o que indica que pode ter havido furto durante o ato de vandalismo. Ninguém foi preso pelos atos.

QUASE 2 MILHÕES

O ano novo na avenida Paulista atraiu 1,9 milhão de pessoas, segundo balanço divulgado pela prefeitura de São Paulo. A noite teve shows de Jorge Ben Jor, Gal Costa, Diogo Nogueira e Péricles, além de grupos de humor.

Foi a primeira vez que a festa da virada na Paulista contou com um show pirotécnico com fogos de artifício com barulho reduzido, em respeito aos idosos e aos animais.

O projeto de lei que proíbe a utilização, o manuseio, a soltura e a queima de fogos com efeitos sonoros e ruídos em São Paulo foi sancionado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), em maio último.

“Essa festa mostra que São Paulo é uma cidade festiva e a prefeitura fez questão de proporcionar isso ao paulistano, inclusive, com a lei aprovada e os fogos sem barulho em respeito não só ao ser humano, mas também aos animais. Quero parabenizar o prefeito Bruno Covas pela realização desse evento e o paulistano por honrar a nossa cidade também na virada de Ano Novo”, disse Eduardo Tuma, prefeito em exercício.


*Com informações da Agência Brasil

Tops da Gazeta