últimas notícias

Viaduto que cedeu será reaberto segunda

Viaduto da Marginal do Pinheiros estava interditado desde 15 de novembro; neste sábado (16), prefeitura vai realizar testes Por Bruno Hoffmann De São Paulo

O viaduto da Marginal do Pinheiros, interditado desde que um degrau de cerca de dois metros se formou entre duas partes da estrutura em 15 de novembro do ano passado, vai ser liberado para carros de passeio a partir desta segunda-feira (18). A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb) à reportagem da Gazeta na última quinta-feira (14).

Neste sábado (16), a Prefeitura de São Paulo vai realizar dois tipos de testes no viaduto, localizado à frente do Parque Villa-Lobos, das 8h às 13h. No primeiro, os veículos passarão em uma velocidade fixa. No outro, caminhões ficarão no vão central do viaduto. A intenção é a de medir a estabilidade do viaduto por meio de sensores.

HISTÓRICO

A queda do viaduto rendeu uma acusação da Promotoria do Patrimônio Público por improbidade administrativa contra o prefeito Bruno Covas (PSDB), o secretário de Obras, Vitor Aly, e mais dois agentes públicos. O MP também pediu a suspensão do contato de obras de recuperação do viaduto. No início deste mês, porém, a 11ª Vara de Fazenda Pública negou os pedido da Promotoria.

O incidente no viaduto da Marginal colocou a manutenção de pontes e viadutos como prioridade na gestão Covas. O TCM (Tribunal de Contas do Município) autorizou a contratação de empresas em regime emergencial para fazer a vistoria detalhada de pontes e viadutos.

Relatórios preliminares apontaram risco de colapso em ao menos oito estruturas viárias na cidade, entre elas as pontes Cidade Jardim, Cidade Universitária e Eusébio Matoso. A prefeitura negou o risco e fez as empresas contratadas assinarem um termo de confidencialidade sobre as obras.

No fim de fevereiro, as pontes Freguesia do Ó e Casa Verde, na zona norte, foram parcialmente interditadas, além da ponte da Marginal Tietê que dá acesso à Via Dutra, por risco aos usuários.


*Com informações da Folhapress

Tops da Gazeta