últimas notícias

Capital registra 12 mortes em 4 dias e Doria fala em 'combate ao crime'

Nos últimos quatro dias, ao menos doze pessoas foram mortas em confronto com a PM Da Reportagem De São Paulo

Dois assaltantes foram mortos em um tiroteio com policiais da Rota nesta terça-feira (7), no Jabaquara. Segundo os policiais, G.H.S. de C. e V.H. da S.S. estavam tentando entrar em uma casa quando foram surpreendidos. No tiroteio, eles foram atingidos e morreram.

Esses casos se somam às outras mortes registradas na Capital nos últimos quatro dias. Nesta segunda (6), uma chacina deixou quatro pessoas mortas e mais uma ferida na zona norte. De acordo com a Polícia Militar, as vítimas foram baleadas no Jardim Peri Alto, na rua Gervásio Leite Rebelo. Três vítimas morreram dentro de um carro e uma quarta foi encontrada sem vida caída na rua. O único sobrevivente do ataque foi levado em estado grave para o Pronto-Socorro do Hospital Cachoeirinha, também na zona norte.

No domingo (5), três pessoas morreram em abordagens da Rota. Um homem foi baleado na zona sul, por não ter obedecido à ordem de parar dos policiais. Em outro confronto contra a Rota, dois homens foram mortos. Os policiais encontraram um carro em atitude suspeita na avenida Raimundo Pereira de Magalhães, e ordenaram que ele parasse. O motorista fugiu, e o carro rodou na pista. Os ocupantes teriam saído do veículo atirando contra os PMs, que revidaram e os atingiram.

O governador do Estado, João Doria (PSDB), em um evento no Palácio dos Bandeirantes nesta quarta-feira (8), disse não ter medo de que a política de combate ao crime aumente a quantidade de mortes. "Se forem os bandidos [que morrerem], estão indo para o lugar que merecem. Quando os bandidos atacam, a polícia tem que seguir o protocolo e, neste caso, quem vai para o cemitério é o bandido, não é o policial e muito menos as pessoas de bem', disse.

Tops da Gazeta