Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Quinta, 11 Julho 2019 17:07

Rappi diz que está apurando os fatos sobre morte de entregador

Thiago de Jesus Dias sofreu um AVC depois de realizar uma entrega pelo aplicativo a uma cliente no sábado (5) em São Paulo
Em nota, a empresa orienta os clientes a acionarem autoridades competentes em situações relacionadas à saúde ou segurança de entregadores Em nota, a empresa orienta os clientes a acionarem autoridades competentes em situações relacionadas à saúde ou segurança de entregadores Reprodução/Instagram/Rappi Brasil
Por Folhapress
De São Paulo

A Rappi diz que está apurando os fatos e revisitando os processos que envolvem a morte do entregador Thiago de Jesus Dias, que sofreu um AVC depois de realizar uma entrega pelo aplicativo a uma cliente no sábado (5) em São Paulo.

A cliente Ana Luísa Pinto publicou em uma rede social um texto em que relata o mal súbito do trabalhador. Em um trecho, faz menção à falta de sensibilidade da empresa ao receber a notícia.

"Entramos em contato com a Rappi que, sem qualquer sensibilidade, nos pediu para que déssemos baixa no pedido para que eles conseguissem avisar os próximos clientes que não receberiam seus produtos no horário previsto", escreveu na rede social.

Segundo Ana Luísa Pinto, outras ligações foram feitas à empresa e ao serviço público de saúde, sem sucesso no auxílio ao motoboy.

Em nota, além de informar que apura os fatos e que se solidariza com a família de Dias, a empresa orienta os clientes a acionarem autoridades competentes em situações relacionadas à saúde ou segurança de entregadores.

Muitos criticaram a postura da empresa nas redes sociais. Outros defenderam que não era responsabilidade dela socorrer o trabalhador.

O que difere esse caso de outros relacionados a incidentes de saúde e segurança no trabalho é que não há vínculo empregatício na relação entre prestadores de serviço e empresas que se denominam "compartilhadas", como Uber e iFood, o que ainda suscita debate em vários países.

Há poucos dias, entregadores da Rappi queimaram mochilas em Bogotá, cidade-sede do aplicativo, na Colômbia, exigindo melhores condições de trabalho.

O mesmo aconteceu em relação ao aplicativo Glovo na Espanha em maio. Ciclistas fizeram intensas manifestações depois que um entregador morreu atropelado. O fato foi o estopim para que pleiteassem maior remuneração e melhores condições de trabalho.


*Por Paula Soprana, da Folhapress

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado