Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Terça, 13 Agosto 2019 15:20

Justiça condena 'Rei dos fiscais' de SP a 54 anos de prisão por cobrança de propina

A condenação de José Rodrigo de Freitas em primeira instância ocorreu devido à acusação de recebimento de propina de R$ 1,6 milhão para favorecer a Uninove
Segundo a Folha de S.Paulo, José Rodrigo de Freitas tem fortuna avaliada em R$ 20 milhões Segundo a Folha de S.Paulo, José Rodrigo de Freitas tem fortuna avaliada em R$ 20 milhões Reprodução/TV Globo
Por Folhapress
De São Paulo

A Justiça condenou, nesta segunda-feira (12), o ex-auditor municipal José Rodrigo de Freitas, conhecido como "rei dos fiscais", a 54 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

A fortuna de Freitas, que acumulou 55 imóveis e avaliada em R$ 20 milhões, foi revelada pela Folha de S.Paulo em fevereiro de 2015. Ele também é suspeito de envolvimento na máfia do ISS, que causou prejuízo de R$ 500 milhões aos cofres paulistanos.

A condenação de Freitas em primeira instância ocorreu devido à acusação de recebimento de propina de R$ 1,6 milhão para favorecer a Uninove. Também foram condenados a 10 anos de reclusão o reitor da instituição, Eduardo Storópolo, e o pró-reitor Marco Antonio Malva.

O Ministério Público, no entanto, recorrerá da condenação em relação a ambos "por entender que devem prevalecer os benefícios da delação premiada fechada por Storópolo e Malva durante as investigações".

Segundo o Gedec (Grupo Especial de Delitos Econômicos), Freitas teria pedido, em diversas ocasiões e de forma continuada, "vantagem indevida dos representantes da Uninove para a manutenção e reconhecimento da imunidade tributária da instituição de ensino junto ao município de São Paulo, referente aos anos fiscais de 1998 a 2005".

Ainda de acordo com a denúncia, a partir de 2006 ele teria cobrado dinheiro para reconhecer a imunidade tributária em anos futuros.

A Promotoria afirma que Freitas teria recebido R$ 1,6 milhão por meio da entrega de 64 cheques emitidos pela Uninove para a concessão da imunidade tributária nos anos de 1996 a 2005.

Os valores teriam sido pagos à Ensergraf Serviços Gráficos Ltda e Mania Informática e à Service Material de Construção Ltda. EPP, Comercial Ferrragens Ltda. ME e Índex Data Comércio e Suporte para Informática Ltda ME para lavar o dinheiro.

A Promotoria afirma que o patrimônio do fiscal é de R$ 76 milhões.

A reportagem da Folha não localizou a defesa de Freitas na manhã desta terça-feira (13).

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado