últimas notícias

Acervo

Projeto quer acabar com recesso de julho na Câmara de SP

O projeto estabelece que o vereador que quiser sair da cidade em julho precisará pedir licença não remunerada, além da possibilidade de realização de sessões solenes e extraordinária Da Reportagem De São Paulo

Um projeto de lei com a intenção de acabar com o recesso de julho dos vereadores na Câmara Municipal de São Paulo estava na agenda para ser votado nesta quarta-feira (14), às 15h. O projeto estabelece que o vereador que quiser sair da cidade em julho precisará pedir licença não remunerada, além da possibilidade de realização de sessões solenes e extraordinária. O texto é um substitutivo do original que tramita há 18 anos na Casa.

Os vereadores, atualmente, têm direito a 30 dias de férias remuneradas em julho e também 30 dias em janeiro e entre 10 e 15 de dezembro, em um total de 70 a 75 dias de recesso, segundo o "G1".

O projeto original é de autoria do vereador Celso Jatene (PL) e tramita na Câmara desde 2001, sem aprovação. De acordo com o vereador, a proposta enfrenta resistência de vereadores que não querer deixar de ter as férias de julho. Para ser aprovado, o projeto precisa de 37 votos. A Câmara tem 55 vereadores.

Tops da Gazeta