últimas notícias

Ciclofaixa de lazer em São Paulo será reativada em novembro

Gestão municipal recebeu propostas para contrato emergencial, mas empresa que ofereceu menor preço em 7 trechos foi desclassificada Por Estadão Conteúdo

A Prefeitura de São Paulo divulgou na segunda-feira (7) ter recebido duas propostas de interessados em operar de forma emergencial os 117 quilômetros do programa Ciclofaixa de Lazer. A empresa que ofereceu o menor valor para sete dos nove trechos foi, contudo, desclassificada nesta terça-feira (8). Suspenso desde o fim de agosto por falta de patrocínio, o serviço deve ser retomado no início de novembro, com recursos da gestão Bruno Covas (PSDB).

Com a mudança, o valor dos contratos emergenciais deve subir de R$ 326 mil para R$ 384 mil, com vigência de 90 dias. A Inovia havia oferecido menor valor em sete trechos. Segundo a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, a empresa foi desclassificada por não cumprir o item do edital em que deveria descrever "a infraestrutura de pessoal técnico e equipamentos disponíveis para a execução do projeto, considerando o material mínimo descrito". Ela terá cinco dias úteis para recorrer.

A empresa DKS ofereceu melhor preço pelos demais dois trechos. Caso a Inovia não tenha recurso acatado, a DKS também será responsável pelos demais trechos.

O contrato emergencial terá vigência de 90 dias contados da data de sua assinatura, podendo ser prorrogado ou rescindido antes do prazo fixado, caso haja a celebração do termo de cooperação, que está em fase de aprovação, e início da respectiva operação.

O programa estava sem patrocínio desde o fim de agosto, quando a Bradesco Seguros encerrou o contrato com a Prefeitura de São Paulo. Desde então, a ciclofaixa de lazer está com a operação temporariamente suspensa. A Secretaria de Mobilidade e Transportes abriu processo para a contratação emergencial do serviço no dia 26 de agosto.

As ciclofaixas de lazer funcionavam aos domingos e feriados, das 7 às 16 horas. São Paulo conta com 473 quilômetros de ciclovias permanentes.

Tops da Gazeta