últimas notícias
Em destaque
Por Pedro Nastri - Colaborador
[email protected]
-
-

Vendas de lojas de bairro crescem

Vendas de lojas de bairro crescem. As vendas de mercadinhos, mercearias e demais comércios de bairro subiram com a pandemia. Isso porque consumidores de diversos países decidiram priorizar os comerciantes locais durante o isolamento social, e evitaram ir a grandes mercados. Segundo pesquisa feita pelo Facebook, em parceria com a Delloite, banco mundial e a OCDE, em 13 países, incluindo o Brasil, 73% dos consumidores passaram a comprar dos pequenos negócios com a pandemia. Além disso, 48% desses entrevistados disseram que optaram em comprar nas pequenas empresas por medo delas falirem. Outros pontos que motivaram essa escolha dos consumidores foram as ofertas e preços menores, além do serviço mais rápido.

Movimento Famílias pelo Clima. O Movimento Famílias pelo Clima entrou com uma ação contra o Governo do Estado de São Paulo por descumprimento da Política Estadual de Mudanças Climáticas, promulgada em 2009. O grupo alega que o Programa IncentivAuto, criado no final de 2019, oferece subsídios ao setor automotivo sem qualquer contrapartida para redução das emissões de gases do efeito estufa do setor. A ação, protocolada na 6ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central, pede que o Governo de São Paulo apresente provas de que os projetos financiados pelo Programa IncentivAuto incluem medidas de redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE), de adaptação aos impactos das mudanças climáticas e de implementação de tecnologias menos poluentes, como prevê a política climática do Estado.

Auxílio emergencial. A renda básica emergencial - uma conquista da sociedade brasileira em resposta aos efeitos perversos da pandemia da Covid-19 - foi apresentada na Assembleia Geral das Nações Unidas como mérito do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e com um grave erro no valor concedido. A sanção do projeto de lei do Congresso não foi rápida e a implantação foi repleta de falhas que deixaram milhares de pessoas sem acesso ao seu direito. E agora, apesar de uma recessão econômica já comprovada e da inflação em alta, o governo cortou o benefício pela metade. Apesar disso, Bolsonaro exibiu a renda básica ao mundo, na plenária das Nações Unidas, como mérito de seu governo. E inflando seu valor quando disse que concedeu auxílio-emergencial de cerca de "1 mil dólares para 65 milhões de famílias". Na verdade cada trabalhador recebeu no máximo 766 dólares somando todas as parcelas. 

 

Comentários

Tops da Gazeta