últimas notícias
Em destaque
Por Pedro Nastri - Colaborador
[email protected]
Pedro Nastri é colunista da Gazeta e âncora na Rádio Trianon 740 AM
Pedro Nastri é colunista da Gazeta e âncora na Rádio Trianon 740 AM

Mini Lockdown

O jornalista e radialista Pedro Nastri comenta sobre as últimas notícias de São Paulo

Mini Lockdown I. O governo de São Paulo anunciou que todo o Estado voltará para a fase vermelha entre os dias 25, 26 e 27 de dezembro e 1, 2 e 3 de janeiro. Neste período, que coincide com as festas de Natal e Ano Novo, somente os serviços essenciais poderão funcionar. Bares e restaurantes só poderão funcionar no esquema de delivery e retirada. O endurecimento das restrições é uma tentativa e conter o avanço da Covid-19 no Estado. O anúncio de que São Paulo voltará para a fase vermelha do plano de combate ao coronavírus vai prejudicar ainda mais o setor de bares e restaurantes, um dos mais afetados pela pandemia. O presidente da Abrasel-SP (Associação de Bares e Restaurantes), Percival Maricato, diz que o setor está sendo punido injustamente. "Para quem se programou para trabalhar nas festas de fim de ano, é um desastre. Aliás, é um desastre atrás do outro".

Retorno às aulas. A Prefeitura de São Paulo prevê o retorno das aulas presenciais a partir do dia 4 de fevereiro com o rodízio dos estudantes, segundo informou o secretário municipal de Educação, Bruno Caetano. "Nossa expectativa é que as aulas retomem na rede pública municipal de forma presencial no dia 4 de fevereiro. Vamos aguardar orientação da saúde municipal", disse o secretário. Devido à pandemia de Covid-19, as aulas regulares presenciais estavam suspensas desde março, quando foi implantada a quarentena para prevenir a propagação do coronavírus. No Estado, o governo autorizou o retorno em outubro, mas deu às prefeituras autonomia para decidir se deveria ou não liberar a volta. Na Capital, somente alunos do Ensino Médio foram autorizados a retomar. Para o ensino infantil e fundamental, a prefeitura permitiu a reabertura apenas para aulas extracurriculares. Na semana passada, o governo de SP mudou as regras e incluiu a educação básica na lista de serviços essenciais, o que permite que as escolas passem a funcionar mesmo se o Estado registrar piora na pandemia. Atualmente, as escolas só podem reabrir em regiões que estão na fase amarela do plano de flexibilização.

Novos secretários. O prefeito de SP reeleito, Bruno Covas (PSDB), anunciou os nomes dos três primeiros secretários da nova gestão, que começa em 2021 e terminará em 2024. Rubens Rizek deixa a secretaria da Justiça e assume a secretaria de Governo. Eunice Prudente, única professora negra da faculdade de direito da Universidade de São Paulo (USP), assumirá a secretaria da Justiça. Formada pela USP, Eunice tem mestrado e doutorado também pela universidade. Com ênfase em Direito do estado, Eunice atua, principalmente, nos seguintes temas: direitos humanos, cidadania, direito, negros - Brasil, e intersecionalidades entre gênero e etnia. Guilherme Bueno assumirá a secretaria da Fazenda.

Comentários

Tops da Gazeta