últimas notícias
Colunista
Tenente Coimbra é deputado estadual pelo PSL.
Tenente Coimbra é deputado estadual em São Paulo pelo PSL
Tenente Coimbra é deputado estadual em São Paulo pelo PSL

O seu voto precisa ser consciente

Deixar de votar não é uma forma de protesto; quando você faz isso, perde o direito de cobrar de forma mais ativa que o político cumpra com o plano de governo

Quando você vai comprar um bem durável, como um carro, deixa que desconhecidos escolham o modelo e a cor por você? Quando vai comprar ou alugar uma casa, deixa que outras pessoas decidam? E quando vai jantar fora, pede para que a pessoa que está na mesa mais próxima defina o seu cardápio? Certamente a resposta para essas perguntas foi não. Então, por que deveria permitir que, durante as eleições municipais, milhares de outras pessoas definam quem é que vai comandar a sua cidade pelos próximos quatro anos?

Parece absurdo pensar assim, mas se não é possível renunciar ao seu direito de escolha para coisas menos importantes, por que você deixaria de escolher os políticos que vão governar a cidade onde mora? E é isso que acontece quando você anula seu voto ou vota em branco.

A escolha dos prefeitos e vereadores afeta diretamente a sua vida. Serão eles os responsáveis por comandar a cidade. Deixar de votar não é uma forma de protesto. Quando você faz isso, perde o direito de cobrar de forma mais ativa que o político cumpra com o plano de governo. Por isso, no dia 15, exerça a maior manifestação da democracia nas urnas: escolha os representantes que tenham ideias e valores que se enquadrem no que você considera como um governo justo e bom para todos.

E optar por este ou aquele candidato não é uma tarefa fácil: pesquise sobre os projetos que o político tem para a sua cidade. Escolha legisladores que tenham causas parecidas com as suas. Precisamos conhecer os planos de governo e propostas dos candidatos para todos os setores, como Saúde, Educação e Segurança, e escolher aqueles que melhor representam nossos valores e ideais.

É imprescindível pesquisar o histórico dos candidatos para saber se têm a ficha e a reputação limpas. Se quisermos melhorias e mudanças, temos a obrigação de votar de forma consciente, escolher o melhor.

Precisamos entender também que a nossa cidadania não termina com o fim da eleição. Mesmo que não tenhamos votado no candidato eleito, é obrigação de todos fiscalizar e cobrar a atuação condizente com as promessas apresentadas durante a campanha. Todos os cidadãos são fiscais do prefeito e dos vereadores.

Nosso sistema político e legislação nos dão mecanismos legais para exercermos a nossa cidadania de forma ampla, cobrando mudanças e realização das promessas de campanha. E isso começa na escolha dos vereadores, que têm a função de fiscalizar os atos do Executivo. Por isso, é tão importante escolher bem o seu vereador. Temos que confiar que eles farão, de fato, a fiscalização dos atos do governo.

Hoje, as redes sociais e as páginas oficiais dos candidatos são uma importante forma de verificar como pensam e o que planejam para as cidades. Então, faça sua pesquisa, leia as propostas e defina seu voto com calma. Ainda temos 10 dias para fazer a lição de casa.

E, muito importante: não venda seu voto. Como você poderá cobrar honestidade dos políticos se trocar seu voto por qualquer tipo de benefício? A mudança que queremos para as nossas cidades começa com as nossas atitudes e escolhas.

*Tenente Coimbra é natural de Santos/SP. Foi eleito deputado estadual com 24.109 votos pelo PSL 

Comentários

Tops da Gazeta