últimas notícias
Danilo Balas é deputado estadual em São Paulo pelo PSL
Danilo Balas é deputado estadual em São Paulo pelo PSL
Foto: Divulgação

Deputado estadual aciona MP contra obras paradas do Governo de SP

Danilo Balas (PSL) afirma que creche em Itaporanga deveria ser entregue em 2019, mas permanece 'abandonada' pelo governo paulista

O deputado estadual Danilo Balas (PSL) protocolou uma representação no Ministério Público de São Paulo (MP-SP) para investigar a obra de uma creche na cidade de Itaporanga, no interior de São Paulo, que teve início em outubro de 2018 com previsão de entrega em 2019. Porém, segundo ele, a obra se encontra "parada e abandonada pelo poder público".

O parlamentar pediu ao MP que investigue eventuais atos de improbidade administrativa praticados pelo Governo de São Paulo. “Estamos dando continuidade à nossa atuação parlamentar de investigação e fiscalização sobre inúmeras obras inacabadas e abandonadas pelo Governo do Estado”, afirmou Balas, com base eleitoral na região de Sorocaba.

Projeto vetado

Na semana passada, o governador João Doria (PSDB) vetou projeto de autoria do deputado Danilo Balas que incentiva a doação de sangue no Estado. A iniciativa, aprovada pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Alesp e também no Plenário da Casa, determina a criação do Cadastro Estadual de Sangue e assegura aos doadores regulares o pagamento de meia-entrada em locais públicos de cultura, esporte e lazer. O PL assegura também atendimento preferencial em estabelecimentos comerciais, como supermercados, bancos, eventos culturais e lotéricas.

Na justificativa do veto, Doria alega que o projeto é totalmente inconstitucional, por se tratar de tema de competência exclusiva do chefe do Executivo estadual. Para Balas, porém, o texto passou pela deliberação da comissão mais importantes da Casa e teve pela aprovação no Plenário da Alesp, com concordância de todos os deputados.

"Essa alegação por parte de João Doria é totalmente lamentável e absurda", lamentou o parlamentar. Agora, o veto voltará à Alesp para ser apreciado em Plenário por todos os deputados.

Comentários

Tops da Gazeta