últimas notícias

Mercedes anuncia renovação do contrato de Lewis Hamilton até 2020

Os detalhes do vínculo firmado não foram revelados, mas as estimativas são de que o britânico vai receber 40 milhões de libras por temporada Por Estadão Conteúdo

Atual campeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton encerrou meses de conversações ao finalmente assinar um novo contrato com a Mercedes. O dono de quatro títulos acertou um novo acordo até 2020, quando o conjunto atual de regras da categoria chegará ao fim. Os detalhes do vínculo firmado não foram revelados, mas as estimativas são de que o britânico vai receber 40 milhões de libras (aproximadamente R$ 200 milhões) por temporada.

"É bom colocar a caneta no papel, anunciar e depois continuar com o trabalho habitual. Estamos na mesma página dentro e fora da pista, e estou ansioso para ganhar mais", disse, nesta quinta-feira, Hamilton, que neste fim de semana participa do GP da Alemanha.

A Mercedes venceu os últimos quatro campeonatos de pilotos e de construtores, com três conquistas de Hamilton, mas esta vem sendo a temporada mais difícil para a equipe. O britânico está oito pontos atrás do alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, a escuderia que lidera o Mundial de Construtores com 20 pontos de vantagem para os atuais campeões.

Hamilton, de 33 anos, venceu 65 corridas, sendo 44 com a Mercedes, e foi ao pódio 124 vezes na sua carreira. Ele é o recordista de pole positions na Fórmula 1, com 76 largadas do primeiro lugar do grid. O seu número de triunfos só é inferior aos 91 de Michael Schumacher, sete vezes campeão mundial.

"Estou muito confiante de que a Mercedes é o lugar certo para estar nos próximos anos. Embora tenhamos alcançado muito sucesso juntos desde 2013, a Mercedes está mais faminta do que nunca. A paixão competitiva que queima dentro de mim é compartilhada por todos os membros deste grupo", disse Hamilton.

O chefe de automobilismo da Mercedes, Toto Wolff, falou em alívio pela formalização da permanência de Hamilton diante de especulações de que o britânico poderia até mesmo deixar as pistas para concentrar o seu foco em ambições fora do esporte.

"Há, compreensivelmente, muito interesse e especulação em torno de todo o processo, então é bom acabar com tudo e anunciar isso. Nós assinamos os documentos finais esta semana e não queríamos manter as pessoas esperando por mais tempo", disse Wolff.

O dirigente apontou Hamilton como um dos grandes nomes de todos os tempos da Fórmula 1, e elogiou seu profissionalismo e ética no trabalho. "O que eu mais gosto de trabalhar com ele é por conhecer o homem que está dentro do capacete de corrida: seu implacável impulso para o autoaperfeiçoamento, sua inteligência emocional como um membro da equipe e sua lealdade para com aqueles em torno dele", afirmou.

Hamilton está na Mercedes desde 2013, após seis temporadas na McLaren. O britânico conquistou seu primeiro título na Fórmula 1 com a McLaren, em 2008, aos 23 anos. Nesta temporada, ele disputa com Vettel para se tornar o terceiro piloto com cinco títulos mundiais - além de Schumacher, o outro é Juan Manuel Fangio.

O novo contrato de Hamilton vai até o fim do Acordo de Concórdia, com um novo conjunto de regras e regras para a Fórmula 1 passando a vigorar a partir de 2021. As maiores mudanças serão centradas em motores, orçamentos e distribuição de receitas, a fim de criar condições de disputa mais equitativas.

Tops da Gazeta