últimas notícias

COB vai investir R$ 800 mi para Tóquio-2020 e adia previsão de medalhas

O valor usado na preparação será semelhante ao destinado pelo comitê nos Jogos de Londres, em 2012, quando foram gastos cerca de R$ 770 milhões Por Folhapress

O COB (Comitê Olímpico do Brasil) vai gastar cerca de R$ 800 milhões na preparação da delegação nacional até o final dos Jogos de Tóquio.

Neste ano, a entidade já investiu R$ 153 milhões.

Os valores foram revelados na manhã desta segunda (23) pela cúpula da entidade.

A quantia é menos da metade gasta pelo COB na preparação da equipe para os Jogos do Rio. Na época, a entidade destinou US$ 600 milhões para gastar nos Jogos do Rio. Se levarmos em conta o dólar de agosto de 2016, o COB gastou quase R$ 1,9 bilhão na equipe.

O valor usado na preparação será semelhante ao destinado pelo comitê nos Jogos de Londres, em 2012, quando foram gastos US$ 350 milhões - cerca de R$ 770 milhões na cotação da época.

A verba atual é oriunda basicamente do repasse da Lei Piva, que destina parte do dinheiro arrecadado com as loterias para o comitê.

Atualmente, o COB tem apenas dois patrocinadores - uma universidade e uma empresa de material esportivo. As duas não repassavam dinheiro aos cofres da entidade. Oferecem apenas serviços.

No ano passado, o COB mergulhou na maior crise da sua história. Presidente do órgão por quase duas décadas, Carlos Arthur Nuzman foi preso acusado de intermediar o pagamento de propina aos dirigentes do COI (Comitê Olímpico Internacional) na escolha do Rio como sede dos Jogos de 2016.

Nuzman renunciou ao cargo. Paulo Wanderley, seu vice, assumiu o comando da entidade.

Neste período, ele tenta "enxugar a máquina" para manter os investimentos no esporte.

Ele já cortou dezenas de funcionários e está revendo contratos. A entidade conta atualmente com 205 funcionários. Antes, o comitê tinha 263 empregados.

A área de tecnologia teve o seu contrato reduzido de R$ 8,5 milhões para R$ 2,7 milhões por ano.

Ele desistiu de mudar a sede do COB neste ano. A entidade funciona num prédio alugado na Barra da Tijuca e ficará no parque aquático Maria Lenk, uma instalação da entidade.

COMIDA BRASILEIRA

A meta de medalhas da delegação brasileira para Tóquio não foi divulgada pela entidade. Nos Jogos do Rio, o Brasil conquistou 19 medalhas em 12 esportes, sendo sete de ouro.

Desta vez, a entidade informou que a previsão só será feita no final do próximo ano.

O órgão apresentou nesta segunda detalhes da preparação da delegação no Japão. A equipe brasileira terá seis bases no país.

O COB vai copiar a estratégia adotada pelos japoneses no Rio, que montaram um restaurante próximo da Vila Olímpica.

Os brasileiros já reservaram um espaço, distante menos de 10 minutos de caminhada da Vila, para os atletas nacionais se alimentarem.

O restaurante deve contar com 15 cozinheiros, que oferecerão do café da manhã ao jantar.

Tops da Gazeta