últimas notícias

Clubes e jogadores criticam zagueiro que culpou companheiro de time vítima de racismo

Após culpar o próprio companheiro por ter sido alvo de insultos racistas na vitória da Juventus sobre o Cagliari, o zagueiro Leonardo Bonucci foi criticado por jogadores e clubes Por Folhapress De São Paulo

Dois dias depois de culpar o próprio companheiro de time Moise Kean por ter sido alvo de insultos racistas na vitória da Juventus sobre o Cagliari, pelo Campeonato Italiano, o zagueiro Leonardo Bonucci foi criticado, nesta quarta-feira (3), por jogadores e clubes.

O defensor italiano havia dito que Kean tinha 50% de culpa no episódio ocorrido na terça (2), uma vez que deveria comemorar os gols com seus colegas de equipe e não diante da torcida adversária. A partida, vencida pela Juve por 2 a 0, ocorreu na casa do adversário.

Bonucci havia anotado o primeiro gol, de cabeça. Moise marcou o segundo, já perto do fim da partida. Na comemoração, ele abriu os braços, como quem se apresenta à torcida rival, que imitou sons de macacos ao jogador.

"Moise sabe que quando se marca um gol é preciso comemorar com o time e pronto. Foi um momento ruim, Kean poderia fazer algo diferente e é isso. Acho que a culpa é 50-50: ele estava errado, os torcedores estavam errados. Devemos ser um exemplo e crescer como um sistema de futebol", disse.

A fala do zagueiro despertou reações diversas em outros atletas. Raheem Sterling, atacante do Manchester City, usou o Twitter para ironizar Bonucci. "A culpa é 50-50. Tudo o que você pode fazer agora é rir", postou o Sterling.

Já Memphis Depay, do Lyon, foi mais dura em sua crítica. "Estou desapontado com sua reação. O menino pode comemorar como quiser. Seu papel é essencial para o time e ele joga com muito orgulho por seu país, a Itália. Deve ser respeitado por isso. Não vamos ficar quietos", disse também no Twitter.

Já o Borussia Dortmund, um dos clubes mais empenhados em acabar com o preconceito racial no futebol, ironizou Bonucci ao postar uma foto de Marco Reus deixando o jogador da Juventus no chão.

Tops da Gazeta