X

MUNDIAL DE BOXE

Bia Ferreira supera colombiana e é bicampeã mundial de boxe

Na decisão do ouro da categoria até 60 kg, ela venceu a talentosa colombiana Angie Paola Valdez Pana, em decisão unânime dos árbitro

DEMÉTRIO VECCHIOLI - Folhapress

Publicado em 26/03/2023 às 14:13

Atualizado em 26/03/2023 às 14:14

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Bia Ferreira / Divulgação/Time Brasil

Beatriz Ferreira é bicampeã mundial. A brasileira repetiu a conquista de 2019 e, neste domingo (26), faturou pela segunda vez o título do Campeonato Mundial Feminino de boxe. Na decisão do ouro da categoria até 60 kg, ela venceu a talentosa colombiana Angie Paola Valdez Pana, em decisão unânime dos árbitros.

A final foi a quarta seguida de Bia em grandes competições do boxe internacional. Além do título mundial de 2019, a brasileira foi prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 e repetiu a segunda colocação no Mundial do ano passado. Ela, porém, não pôde se vingar dessas últimas duas derrotas, porque suas rivais nestas finais boicotaram a competição disputada em Nova Déli (Índia).

De qualquer forma, Bia já era a líder do ranking mundial e, na ausência das outras estrelas da categoria, chegou à Índia como grande favorita. E mostrou isso no ringue, vencendo suas três primeiras lutas no Mundial por decisão unânime dos árbitros. Ela atropelou primeiro a australiana Danielle Scanlon, depois a japonesa Tagachi Ayaka, e enfim a sul-coreana Oh Yeonj, já na semifinal.

Adversária da final, Angie Paola Valdez vinha como surpresa do Mundial. Ela só começou a ganhar experiência internacional na temporada passada, quando venceu tanto os Jogos Sul-Americanos quanto os Jogos Bolivarianos. No Mundial, também havia vencido todas as lutas por unanimidade, desde a estreia, quando superou a taiwanesa Shih-Yi Wu, número dois do ranking mundial.

Na final, Bia mostrou-se mais agressiva, enquanto Valdez buscava os contragolpes. Todos os cinco árbitros viram vitória da brasileira no primeiro round, e isso forçou a colombiana a arriscar. Bia controlou bem o segundo round e só um dos juízes apontou vitória da colombiana na segunda parcial.

Aí, restava à brasileira apenas se manter de pé no terceiro round, enquanto a rival foi para o tudo ou nada. Novamente Bia foi melhor, chegando a derrubar a adversária. O juiz, porém, não abriu contagem, ao entender que a queda não foi causada por um golpe.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

MELHORIAS NA GRANDE SP

Obras: veja fotos de como ficará a Praça Nicola Vivilechio em Taboão da Serra

A Praça Nicola Vivilechio, ponto de encontro da cidade, passa por obras de revitalização; projeção é que o local seja reinaugurado em novembro deste ano

O Santo Casamenteiro

Dia de Santo Antônio: conheça o padroeiro que prepara casamentos

Veja a história e os milagres de Santo Antônio, um dos santos mais queridos e venerados da Igreja Católica.

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter