últimas notícias

Experiências pelo mundo

De acordo com Carolina Campos, diretora executiva do Vozes da Educação, países do hemisfério norte, por terem o calendário escolar diferente (começam em setembro e fecham em junho, devido às férias de verão), puderam fazer escolhas diferentes das adotadas por aqui. Na Dinamarca, por exemplo, as escolas ficaram fechadas por apenas 35 dias.

Ásia e Oceania também enfrentaram situações distintas. Com contágio mais controlado, Singapura e Nova Zelândia praticamente não tiveram impacto em seus calendários escolares.

Já a Colômbia optou por fazer como o Brasil: um continuum escolar, unificando os anos letivos de 2020 e 2021. Por outro lado, na Bolívia, o ano letivo foi cancelado, enquanto na Nigéria ele foi estendido.

Tops da Gazeta