últimas notícias

Acervo

Sem chuva, nível do Cantareira opera com 40,8% da capacidade

Os índices dos outros cinco sistemas que abastecem a Grande São Paulo também tiveram queda na comparação com os níveis registrados no domingo Da Reportagem De São Paulo

Sem chuvas fortes há mais de dois meses, o Sistema Cantareira vem baixando seu nível de armazenamento. Nesta segunda-feira, o manancial operava com 40,8% de sua capacidade, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O índice de água armazenada no manancial registrou queda, já que no domingo, o sistema operava com 40,9% da capacidade.

Os índices dos outros cinco sistemas que abastecem a Grande São Paulo também tiveram queda na comparação com os níveis registrados no domingo, apesar que em alguns houve o registro de chuvas. Alto Tietê, Guarapiranga e Rio Claro registraram precipitações leves, com 0,2 mm de chuva acumulada ontem.

O sistema Alto Tietê operava nesta segunda com 53,7% da capacidade ante 53,8% do dia anterior. No Guarapiranga a queda foi um pouco maior de 64,8% no domingo para 64,6% nesta segunda.

O Sistema Alto Cotia também teve queda de 61,5% para 61,2%. Já o Sistema Rio Grande operava com 75,4% da capacidade ontem ante o 75,3% de domingo. No Sistema Rio Claro a queda chegou a dois pontos percentuais, de 70,5% para 69,8%.

Falta de chuvas

Algumas regiões do Estado registram baixa quantidade de chuvas desde março. Na região de Campinas, o mês de maio foi o mais seco desde 2006, segundo dados do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), da Unicamp.

Choveu apenas 8,6 milímetros, muito abaixo do volume esperado, de 63,3 mm. A capital paulista não registra chuvas significativas há 80 dias.

Tops da Gazeta