últimas notícias

Estado de São Paulo reduz homicídios; latrocínios dobram

Pelo segundo mês consecutivo, o Estado de São Paulo registrou redução recorde no número de casos de homicídio Por Estadão Conteúdo

Pelo segundo mês consecutivo, o Estado de São Paulo registrou redução recorde no número de casos de homicídio 221, conforme os dados de setembro, divulgados na quinta-feira, pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). Trata-se do menor índice para um mês desde 2001, início da série histórica. Em agosto, houve 224 relatos de assassinato. A taxa de casos por 100 mil habitantes também é a menor da história (7). Já o número de casos de latrocínio dobrou, de 11 para 22, na comparação com o mesmo período de 2017.

A estatística de assassinatos confirma uma tendência - em 2018, a queda aconteceu em todos os meses. Indagado a respeito no mês passado, o secretário da Segurança, Mágino Alves Barbosa Filho, havia destacado que “isso é fruto do trabalho das polícias, do investimento em tecnologia e emprego de ferramentas que direcionam o patrulhamento para as principais manchas de criminalidade”. Até mesmo na capital, que teve avanço de casos em agosto, houve redução agora em setembro, de 58 para 46 casos (20,6%).

Já os casos de roubo seguido de morte (latrocínio) passam a preocupar, pois avançam pelo segundo mês seguido. Em agosto, havia sido registrado o primeiro aumento do ano: 23 casos, 3 a mais do que em agosto do ano anterior. Agora, o número de registros até caiu, para 22, mas é o dobro do registrado no mesmo período do ano passado - 11. No mês passado, a Secretaria da Segurança Pública havia considerado o crescimento de casos “episódico”.

Capital

O avanço dos latrocínios ocorre sobretudo pelo aumento dos casos na capital, que cresceram seis vezes, de 2 para 12 casos. É preciso considerar, no entanto, que o registro de setembro é o maior para 2018 e o comparativo do mesmo mês no ano passado foi o menor para 2017. Já os registros de estupro apresentaram alta pelo quarto mês consecutivo, chegando a 69 relatos.

Tops da Gazeta