últimas notícias

Grupo de trabalho tem 90 dias para mostrar situação de barragens paulistas

O governo de São Paulo criou um grupo de trabalho para atualizar e recomendar soluções para reduzir os riscos produzidos por barragens no Estado de São Paulo. Por Estadão Conteúdo

O governo de São Paulo criou um grupo de trabalho para atualizar e recomendar soluções para reduzir os riscos produzidos por barragens no Estado de São Paulo. A resolução, publicada no Diário Oficial de terça-feira, 29, estabelece que o grupo, coordenado pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado, deverá apresentar em 90 dias um relatório sobre as condições dos barramentos.

Representantes da Agência Nacional de Mineração (ANM), Agência Nacional de Águas (Ana), e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) serão convidados a integrar o grupo, que fará vistorias in loco nas barragens.
Em Sorocaba, nesta quarta-feira, 30, o governador João Doria (PSDB) disse que o trabalho de fiscalização já teve início. “São Paulo não tem o mesmo volume de mineração, nem as barragens com as mesmas características das barragens de Minas.

Mesmo assim, fizemos um alerta e as empresas (que possuem barragens) já iniciaram a verificação de seus protocolos para garantir a segurança de seus funcionários e da população do entorno.”

Doria citou como exemplo a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), que vai instalar equipamentos sonoros e usar aplicativos de celular para alertar a população do entorno de sua fábrica, em Alumínio, no interior, sobre eventuais riscos.

A maior barragem de mineração da cidade de São Paulo tem uma boa estrutura, considerada de baixo risco.

Tops da Gazeta