últimas notícias

Transporte de mulheres da delegacia ao IML é autorizado na Baixada Santista e Vale do Ribeira

A determinação foi dada ano passado pelo diretor da Polícia Civil, Manoel Gatto Por Carlos Ratton De Santos

Ano passado, um problema sério denunciado com exclusividade pelo Diário do Litoral (DL) foi solucionado, após o diretor da Polícia Civil da Baixada Santista e Vale do Ribeira, Manoel Gatto Neto, ter autorizado que as DDMs requisitem veículos policiais para transportar mulheres, sem condições financeiras e vítimas de agressões, para os IMLs da região.

Em Santos, um levantamento realizado pelo vereador santista Lincoln Reis (PR) revelou que uma parte significativa das mulheres que registra o boletim na DDM, que fica no Gonzaga, não tem dinheiro para pegar condução e ir até o IML do Saboó para fazer o exame de corpo de delito. Isso significa que 40% dos inquéritos abertos contra os agressores sejam arquivados por falta de provas.

Riscos

Na ocasião da denúncia, o vereador lembrou que além de estarem machucadas, fragilizadas e em companhia dos filhos pequenos, elas correm risco, se expondo nas ruas e pontos de ônibus, quando conseguem dinheiro, enquanto os agressores ainda estão soltos.

O parlamentar santista ainda chegou a propor a inversão do horário de atendimento na DDM, passando de 8 às 18 horas, para das 18 às sete da manhã, e que o atendimento fosse prestado por mulheres. "Geralmente, os agressores atuam depois do trabalho - à noite e de madrugada. Além disso, a mulher atende melhor a mulher porque é mais sensível que o homem", acredita.

Em Santos, a Secretaria de Desenvolvimento Social, por meio dos centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), realiza atendimento às mulheres vítimas de violência, indivíduos e famílias que necessitam da rede de serviços para orientação, apoio especializado e continuado. Chega até a fornecer um veículo em caso de necessidade.

As dificuldades das mulheres santistas vítimas da violência são um reflexo de toda a Região Metropolitana da Baixada Santista. Somente Santos, Guarujá e Praia Grande possuem IMLs, ou seja, seis dos nove municípios que compõem a base territorial não possuem institutos.

Tops da Gazeta