últimas notícias

Acervo

TCE faz fiscalização surpresa em hospitais de São Paulo

Ao menos 10% das entidades não identificaram os pacientes para a retirada de medicamentos, segundo um balanço parcial da fiscalização Da Reportagem De São Paulo

Hospitais e unidades de saúde do estado do São Paulo tiveram fiscalização surpresa do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) nesta terça-feira (27). Os agentes verificaram as condições de fornecimento, controle e distribuição de medicamentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Ao menos 10% das entidades não identificam os pacientes para a retirada de medicamentos, segundo um balanço parcial da fiscalização.

Cerca de 298 entidades em 221 municípios do Estado foram fiscalizadas. Deste total, 49% não possuíam alvará da vigilância sanitária e mais de 10% não tinham controle de estoque. Em 53% das unidades havia medicamentos com prazo de validade próximo ao vencimento. Além das farmácias e almoxarifados, o TCE-SP também verificou se há segurança na ocasião de entrega de remédios de uso controlado.

Tops da Gazeta

TCE faz fiscalização surpresa em hospitais de São PauloTCE faz fiscalização surpresa em hospitais de São Paulo
últimas notícias

Acervo

TCE faz fiscalização surpresa em hospitais de São Paulo

Ao menos 10% das entidades não identificaram os pacientes para a retirada de medicamentos, segundo um balanço parcial da fiscalização Da Reportagem De São Paulo

Hospitais e unidades de saúde do estado do São Paulo tiveram fiscalização surpresa do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) nesta terça-feira (27). Os agentes verificaram as condições de fornecimento, controle e distribuição de medicamentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Ao menos 10% das entidades não identificam os pacientes para a retirada de medicamentos, segundo um balanço parcial da fiscalização.

Cerca de 298 entidades em 221 municípios do Estado foram fiscalizadas. Deste total, 49% não possuíam alvará da vigilância sanitária e mais de 10% não tinham controle de estoque. Em 53% das unidades havia medicamentos com prazo de validade próximo ao vencimento. Além das farmácias e almoxarifados, o TCE-SP também verificou se há segurança na ocasião de entrega de remédios de uso controlado.

Tops da Gazeta