Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Segunda, 09 Setembro 2019 17:09

Governo de SP cassa aposentadoria de ex-chefe de presídios que ficou milionário

O ex-servidor Hugo Berni foi demitido por, entre outros motivos, infringir leis que citam lesar os cofres públicos e receber ou solicitar propinas
Como coordenador de 28 unidades prisionais, Berni era o responsável pelos contratos com as empresas que forneciam serviços Como coordenador de 28 unidades prisionais, Berni era o responsável pelos contratos com as empresas que forneciam serviços Reprodução/Facebook
Por Folhapress
De São Paulo

O governo João Doria (PSDB) demitiu a bem do serviço público e cassou a aposentadoria do ex-chefe dos presídios do estado de São Paulo que teve a fortuna revelada pelo jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com o Diário Oficial de sábado (7), o ex-servidor Hugo Berni foi demitido por, entre outros motivos, infringir leis que citam lesar os cofres públicos e receber ou solicitar propinas.

A Folha de S.Paulo revelou, em 2015, que Berni, então responsável por todos os presídios da região metropolitana, havia acumulado patrimônio que poderia chegar à casa dos R$ 20 milhões em poucos anos.

Segundo a apuração da reportagem, ele se associou à irmã dois anos em uma empresa imobiliária - que saiu quase do zero e construiu casas em condomínios de alto padrão de Sorocaba (interior) avaliadas em mais de R$ 7 milhões, equivalentes a 32 anos de seu salário. Além disso, mantinha em andamento obras de um condomínio inteiro, com 24 casas, que poderiam alcançar R$ 15 milhões.

Berni negou origem ilegal dos bens na ocasião.

Ele foi afastado pelo então governador Geraldo Alckmin (PSDB) logo após a publicação da reportagem. Uma investigação sobre a atuação de Berni foi aberta.

Como coordenador de 28 unidades prisionais, cargo de confiança do então secretário Lourival Gomes, Berni era o responsável pelos contratos com as empresas que forneciam alimentos e outros serviços.

Auditoria constatou que empresas da família do ex­-chefe dos presídios da Grande São Paulo fizeram negócios com fornecedoras da Secretaria da Administração Penitenciária, segundo conclusão de auditoria da Corregedoria Geral da Administração.

A reportagem apurou que a auditoria rastreou negócios das empresas da família de Berni com ao menos cinco empresas ganhadoras de licitações da secretaria. Quatro são fornecedoras de alimentos para prisões e uma é da área de material de construção.

Berni conseguiu se aposentar. No entanto, após o fim da investigação, foi decidido que deveria ser demitido a bem do serviço público e, por isso, ter a aposentadoria cassada.

De acordo com Diário Oficial, entre as razões da punição estão artigos que citam "lesar o patrimônio ou os cofres públicos"; "receber ou solicitar propinas, comissões, presentes ou vantagens de qualquer espécie"; e "pedir, por empréstimo, dinheiro ou quaisquer valores a pessoas que tratem de interesses ou o tenham na repartição, ou estejam sujeitos à sua fiscalização".

O despacho cita ainda artigos relacionados a "participar da gerência ou administração de empresas bancárias ou industriais, ou de sociedades comerciais, que mantenham relações comerciais ou administrativas com o Governo do Estado"; e "valer-se de sua qualidade de funcionário para desempenhar atividade estranha às funções ou para lograr, direta ou indiretamente, qualquer proveito".

Berni não foi localizano nesta segunda-feira (9). Na ocasião da publicação da primeira reportagem, ele afirmou que sua vida pública não se misturou com a privada e que se defenderia no momento oportuno.

"Na realidade, é uma permuta de imóveis. Nesse mercado imobiliário tem muita troca, muita compra. Tem muita coisa que você negocia. É difícil de explicar", afirmou sobre as casas.

Linha do tempo

2006
Hugo Berni Neto vira coordenador de presídios do Estado.

2008
Assume o cargo de coordenador de presídios da Grande SP. Rita de Cássia Berni, sua irmã, começa a adquirir uma série de imóveis.

2011
É criada a Midas Empreendimentos Imobiliários, empresa da família Berni.

2013
Berni Neto vira sócio cotista da Midas, registrada no nome de sua irmã. Empresa adquire 7 imóveis.

2014
A empresa adquire mais quatro terrenos onde construiu casas.

2015
Midas começa a construção de condomínio avaliado em R$ 15 milhões em Sorocaba e adquire mais um imóvel. Folha de S.Paulo publica reportagem sobre patrimônio e Berni é afastado.

2016
Auditoria liga Berni a fornecedores de alimentos da Secretaria da Administração Penitenciária.

2019
Após fim de processo disciplinar, ele tem demissão a bem do serviço público publicada e convertida em cassação da aposentadoria.


*Por Artur Rodrigues, da Folhapress

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado