X

UNIÃO

Prefeitura de SP e Unicef firmam parceria para garantir direitos de crianças

Na capital, a região escolhida pela Administração Municipal para as ações foi o distrito de Cidade Tiradentes, definida a partir da análise de indicadores sociais, que abriga mais de 211 mil habitantes, sendo 71.500 crianças e adolescentes de 0 a 17 anos

Da Reportagem

Publicado em 23/05/2022 às 14:55

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A parceria ficará vigente até 2024 e prevê a implementação de ações integradas, planejadas e implementadas de maneira multidisciplinar e colaborativa / POLÍCIA MILITAR

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, assinou na manhã desta segunda-feira (23), acordo de cooperação com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para ações pelos direitos das crianças e adolescentes. Segundo o prefeito, todas as áreas da Administração Municipal trabalham no combate à violência contra as crianças e adolescentes, especialmente as que estão em situação mais vulnerável. A parceria ficará vigente até 2024 e prevê a implementação de ações integradas, planejadas e implementadas de maneira multidisciplinar e colaborativa.

O Unicef aproveitou o encontro na Prefeitura de São Paulo para lançar, nacionalmente a #AgendaCidadeUNICEF – São Paulo para cada criança e adolescente. A iniciativa é um movimento nacional, em oito capitais brasileiras, que propõe uma soma de esforços para que cada criança e cada adolescente esteja na escola, aprendendo; cresça com oportunidades de inclusão produtiva; tenha acesso a serviços de proteção contra violências; além de ter sua saúde integral e seu bem-estar assegurados.

A Agenda Cidade acontece num território prioritário de cada centro urbano participante. Na capital, o território identificado em parceria com o governo municipal, a partir da análise de indicadores sociais, foi o distrito de Cidade Tiradentes, que abriga mais de 211 mil habitantes, sendo 71.500 crianças e adolescentes de 0 a 17 anos.

Para a representante do Unicef no Brasil, Florence Bauer, a violência na infância e na adolescência teve um aumento significativo durante a pandemia. “As dificuldades para permanecer na escola e se inserir de maneira decente e adequada no mundo do trabalho geram um ciclo de exclusão e de violência na infância e na adolescência e na pandemia, esse cenário piorou de maneira profunda. Nesse sentido, #AgendaCidadeUNICEF cooperará com o município na garantia de direitos e na proteção das diversas formas de violência contra crianças e adolescentes, para que eles possam viver e se desenvolver plenamente", afirmou Florence.

Com a parceria, o Unicef disponibilizará apoio técnico, compartilhamento de metodologias, monitoramento e intercâmbio com outras iniciativas locais e globais, como parte de sua estratégia de cooperação com governos municipais voltada aos centros urbanos. Além de São Paulo, as outras cidades que farão parte desse movimento nacional são Belém, Fortaleza, Manaus, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Luís.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nasceu em julho ou agosto?

Caixa libera abono do PIS/PASEP para trabalhadores nascidos em julho e agosto

Governo deve liberar R$ 4,5 bilhões para os benefícios, sendo R$ 3,9 bilhões para o PIS e R$ 613 milhões para o PASEP

Delação Premiada

Caso Marielle: STF julga esta terça denúncia dos mandantes envolvidos no crime

Ministros vão decidir se os suspeitos se tornarão réus por homicídio e organização criminosa; acusados estão presos desde março

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter