últimas notícias

PF prende mulheres com cocaína e haxixe no Aeroporto de Guarulhos

Em duas ações diferentes no aeroporto, as mulheres foram presas tentando embarcar para a Alemanha e Espanha com cocaína e haxixe Da Reportagem De São Paulo

Duas mulheres que tentavam embarcar para a Alemanha e Espanha com cocaína e haxixe foram presas em duas ações diferentes no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

No primeiro caso, uma israelense, de 44 anos, despachou suas bagagens para voo com destino a Frankfurt, na Alemanha, na tarde de terça-feira quando foi parada no portão de bagagens por policiais federais. Os agentes identificaram uma substância suspeita no interior da mala, através de verificação de raio-x. Ao verificar a bagagem, os policiais encontraram um fundo falso com 5 kg de cocaína.

Nesta quarta-feira, uma brasileira de 18 anos, que desembarcou de um voo de Madri, na Espanha transportava 4 kg de entorpecentes entre tabletes e cápsulas, de haxixe. Os policiais encontraram a substâncias através do raio-x da bagagem da jovem.

As presas serão encaminhadas ao presídio feminino da Capital onde permanecerão à disposição da Justiça respondendo pelo crime de tráfico internacional de drogas.

Outro caso

Um homem foi preso em flagrante no aeroporto Internacional de Guarulhos, na terça-feira (21), por furtar malas de passageiros. O russo Aleksandr Trazhdanstvo foi flagrado furtando a mala de um casal que dormia enquanto esperava o embarque. De acordo com a polícia, foi o quarto caso em menos de uma semana.

No dia 15, Trazhdanstvo levou a mochila de um passageiro. No dia seguinte, um celular. No dia 18, um outro casal foi alvo e teve as malas levadas.

O russo escondia os objetos roubados em uma área de mata, perto do estacionamento do aeroporto. Entre os objetos roubados, estavam dois laptops, fone de ouvido, par de sapatos, todas as roupas e até uma camisa da seleção da Colômbia.

A Polícia Civil vai conversar com a Polícia Federal para avaliar se pede ou não a extradição de Trazhdanstvo. O chefe da delegacia do aeroporto diz que as vítimas devem procurar a polícia.

Tops da Gazeta