últimas notícias

PF prende vereadora suspeita de fraude no INSS

Estimativa inicial da Polícia Federal é de que as fraudes possam ter causado prejuízo de R$ 170 milhões aos cofres públicos Por Matheus Herbert De São Paulo

Na manhã desta segunda-feira (26), a Polícia Federal (PF) realizou a operação Badour e prendeu quatro pessoas, entre elas a vereadora da cidade de Santo André, no ABC Paulista, Elian Santana (Solidariedade), por suspeitas de fraude previdenciária. A PF também cumpriu seis mandados de busca e apreensão e inicialmente estima que as fraudes causaram um prejuízo de R$ 170 milhões aos cofres públicos. O caso ainda segue em investigação.

Segundo as investigações da PF, a vereadora do ABC comandaria um grupo que chegava a cobrar cerca de R$ 10 mil para fraudar a contagem de tempo dos beneficiários. A chefe de gabinete de Elian também foi presa. Até a tarde de ontem a assessoria de imprensa da vereadora não havia se manifestado sobre a prisão.

Ainda segundo as investigações além das quantias cobradas pela prestação da falsa assessoria, o esquema gerava ganhos político-eleitorais à parlamentar, que figurava como responsável pela obtenção das aposentadorias aos clientes.

Os outros detidos são um homem que atuava como procurador dos segurados e um servidor da agência do INSS em Diadema, também na região do ABC, que inseria os dados falsos nos sistemas informatizados da Previdência.

Na casa do servidor do INSS, a Polícia Federal prendeu cerca de R$ 42 mil e US$ 3 mil em espécie. Também foram apreendidos documentos e mídias para armazenamento de dados.

A Advocacia Geral da União (AGU) solicitou o bloqueio patrimonial de alguns envolvidos, para tentar garantir a restituição dos valores desviados e reaver o produto do crime.

Investigação

A Polícia Federal iniciou as investigações em junho após receber informações de inteligência da Secretaria de Previdência Social, que havia detectado inconsistências nos pedidos de aposentadorias em uma agência do INSS na cidade de Diadema.

Tops da Gazeta