últimas notícias

Embu segue sem médicos após saída de cubanos

No dia 21 de novembro, a cidade perdeu 20 profissionais cubanos e o atendimento ficou comprometido Por Matheus Herbert De São Paulo

Os moradores da cidade de Embu das Artes, na região metropolitana de São Paulo, continuam encontrando dificuldades nos atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS´s) do município, após a saída de 20 médicos cubanos que integravam o programa federal Mais Médicos. Quem procura atendimento reclama de filas e remarcações de consultas.

Pouco mais de 30 dias da saída dos profissionais de Embu das Artes a situação ainda não foi normalizada. “Tinha uma consulta marcada com um especialista na última semana e minha consulta foi remarcada para janeiro. Até entendemos que os profissionais faziam parte de um programa federal, mas a prefeitura já deveria ter tomado uma solução”, disse a auxiliar de limpeza, Cléa Lima, de 48 anos, que mora há mais de 30 anos no Jardim São Marcos.

Os moradores também reclamam do atendimento nas redes sociais. Na página oficial no Facebook da Prefeitura de Embu das Artes, Roberto Honório de Castro reclamou da demora no atendimento. “Tinha uma consulta agendada com o clinico geral, depois de horas aguardando na fila, não fui bem atendido e logo encaminhado para um otorrino, porém não existe previsão para eu passar com o especialista. Vou ter que procurar um atendimento particular”, disse o morador da região central da cidade.

Logo após o anúncio da saída dos profissionais, a Prefeitura de Embu das Artes informou à Gazeta que “abriu imediatamente contratação emergencial de médicos para repor a perda no quadro médico o mais rápido possível, respeitando todos os princípios da lei”.

Procurada na tarde de ontem, a prefeitura informou a reportagem que nove profissionais do programa se apresentaram na cidade no começo deste mês após o governo federal abrir novas vagas. Ainda segundo a administração, os profissionais estão em processo de treinamento e ainda não existe uma previsão para que eles comecem a atuar nas unidades de saúde.

Itapecerica da Serra

Diferente de Embu das Artes, o município de Itapecerica da Serra, que também havia perdido profissionais já normalizou os atendimentos. A cidade que também fica na região sudoeste da Grande São Paulo, perdeu 19 profissionais cubanos, mas de acordo com a prefeitura 10 novos profissionais já se apresentaram e estão atendendo nas unidades.

Através de uma nota a Prefeitura de Itapecerica da Serra informou que “o acolhimento aos profissionais que se apresentaram aconteceu no dia 17 de dezembro, na sede da Autarquia de Saúde. Nesse mesmo dia, já deram início ao treinamento sobre as unidades de Saúde e receberam dados do município. O treinamento ocorreu entre os dias 17 e 19, ainda no dia 19 foram encaminhados às unidades para início das atividades. Os profissionais que se apresentaram, 10 ao todo, são de São Paulo, Brasília, Goiás, Campo Grande e Espírito Santo”.

A nota ainda informou que, “além dos 10 profissionais recém-chegados em Itapecerica da Serra, mais nove médicos são aguardados para completar o quadro do programa que contempla a cidade”.

Saída do Programa

O governo de Cuba informou no dia 14 de novembro que deixaria de fazer parte do programa Mais Médicos. A justificativa do Ministério da Saúde cubano é que as exigências feitas pelo governo eleito são “inaceitáveis” e “violam” acordos anteriores.

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse na época, na sua conta do Twitter, que a permanência dos cubanos estava condicionada à realização do Revalida pelos profissionais, que é um exame aplicado aos médicos que se formam no exterior e querem atuar no Brasil.

Tops da Gazeta