últimas notícias

Prefeito de Osasco troca curativos pela 3ª vez

Segundo boletim, 'os pacientes evoluem bem recebendo atenção multiprofissional, clinicamente afebril, deambulando e aceitando dieta' Da Reportagem De São Paulo

O prefeito de Osasco, Rogério Lins (Pode), e sua esposa, Aline Lins, passaram nesta quarta-feira (3) pela terceira troca de curativos no Hospital Antônio Giglio desde que foram atingidos pela explosão de uma fogueira no dia 28 de junho, em uma festa junina na cidade da região metropolitana da Capital.

De acordo com o boletim médico, divulgado pelo "G1", "os pacientes passaram bem o dia de ontem [terça-feira] confirmando as expectativas de melhoras (...) Os pacientes evoluem bem recebendo atenção multiprofissional, clinicamente afebril, deambulando e aceitando dieta".

SEM AUTORIZAÇÃO

Os bombeiros afirmaram que a fogueira que explodiu após ser acendida pelo prefeito de Osasco e a primeira-dama, na última sexta-feira não constava no projeto apresentado pela organização do evento à corporação.

Por conta do acidente, Rogério Lins e Aline Lins permanecem internados, estáveis, no hospital municipal Antônio Giglio. Ambos tiveram queimaduras de primeiro e segundo graus em 14% dos rostos e braços, segundo boletim médico divulgado instantes após a internação do casal.

Segundo o capitão Marcos Palumbo, do Corpo de Bombeiros, um dia após a explosão, uma equipe de fiscalização da corporação constatou algumas "não conformidades" com o projeto do evento "Arraiá do Servidor".

"Não havia rotas de fuga, por exemplo. Fizemos uma advertência e abrimos um processo de cassação do AVCB [Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros] da empresa responsável pela organização [Arena VIP]". Segundo a prefeitura, a empresa Arena VIP "sempre foi" a responsável pela organização da festa junina. O capitão explicou que, caso constasse a montagem da fogueira no projeto apresentado, seriam cobradas medidas contra incêndio. "Mas, já que foram constatadas as inconformidades, notificamos os organizadores do evento", afirmou.

O acidente ocorreu no momento em que o casal acendia a fogueira, com uma tocha. Aproximadamente 2.000 pessoas participavam da festa no momento da explosão.

A polícia investiga o que teria provocado o acidente. Em vídeo gravado no hospital, domingo (30), o prefeito exigiu investigação do caso.


*Com informações da Folhapress

Tops da Gazeta